Fórum Para Os Usuários do FutClube, aqui vocês Fala com O Presidente do Clube, ou Diretor etc.. Cada time tem um Topico, não podera ter 2 Topicos de 1 time, Apenas o Presidente do time pode editar o Tópico do clube, Caso haja Malandragem O Próprio será Bl

Conectar-se

Esqueci minha senha

Quem está conectado

1 usuário online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 1 Visitante

Nenhum


[ Ver toda a lista ]


O recorde de usuários online foi de 14 em Ter Jun 08, 2010 12:48 pm

Votação

Estatísticas

Os nossos membros postaram um total de 251 mensagens em 36 assuntos

Temos 100 usuários registrados

O último usuário registrado atende pelo nome de zWarwick


    [Copa do Mundo] Jogos Realizados

    Compartilhe
    avatar
    FreeAnGeL
    Moderadores
    Moderadores

    Mensagens : 74
    Reputação : 0
    Data de inscrição : 07/06/2010
    Idade : 21
    Localização : Santos - São Paulo

    Re: [Copa do Mundo] Jogos Realizados

    Mensagem por FreeAnGeL em Sex Jun 18, 2010 7:05 pm



    Camarões e Dinamarca disputaram uma das partidas mais emocionantes da Copa do Mundo da FIFA África do Sul 2010 até aqui. E, como tal, o jogo em Tshwane/Pretória teve como um de seus ingredientes o fato de ser autenticamente decisivo.

    A vitória dinamarquesa de virada por 2 a 1 levou o Mundial a conhecer seu primeiro país classificado para as oitavas de final – a Holanda, que mais cedo superou o Japão por 1 a 0 – e também o seu primeiro eliminado: Camarões. Com grande atuação de Dennis Rommedahl – que deu o passe para o primeiro gol de Nicklas Bendtner e anotou o segundo -, a Dinamarca se recuperou da derrota para a Holanda na estreia e conseguiu a virada depois de ter sofrido um gol de Samuel Eto’o no início.

    Japoneses e dinamarqueses, ambos com três pontos, se enfrentam no próximo dia 24, em Rustemburgo, com um lugar na segunda fase em jogo. No mesmo dia, a Holanda espera assegurar a liderança do Grupo E quando enfrenta os camaroneses.

    Ataque contra ataque
    A imagem dos camaroneses em campo não lembrava em nada a da equipe passiva que perdeu por 1 a 0 para o Japão na estreia. Com Geremi e Alexander Song agora como titulares, a equipe mostrou uma postura ofensiva que imediatamente acossou os dinamarqueses.

    Apesar de, com isso, ter aberto espaços para os contra-ataques – como o da primeira chance do jogo, quando Dennis Rommehdal invadiu a área pela direita e bateu pelo alto do travessão -, a estratégia deu resultados. Camarões marcava sob pressão e logo dominou o jogo. E, aos dez minutos, já abriu o placar: foi numa falha grosseira de Christian Poulsen, que errou um passe na entrada da área e deixou a bola nos pés de Pierre Webó, que invadiu a área pela esquerda e cruzou rasteiro para Samuel Eto’o. O camisa 9 dominou e não perdoou: tocou no canto direito para se tornar apenas o quarto jogador na história do país a marcar gol em mais de uma Copa do Mundo da FIFA, ao lado de Roger Milla, François Omam Biyik e Patrick Mboma.

    Embora não tenham nunca deixado de permitir que os africanos se aproximassem da area, os dinamarqueses equilibraram o jogo, usando seus dois ponteiros abertos pelo lado do campo: Rommedahl e Jesper Gronkjaer. Foi num lançamento espetacular de Simon Kjaer de sua intermediária esquerda para a ponta direita que nasceu o empate. Rommedahl recebeu e cruzou rasteiro na pequena área, na medida para a entrada de Nicklas Bendtner, de carrinho. O jogo ficou igualado e cada vez melhor. Antes do intervalo, cada equipe teve mais duas oportunidades claras, e a bola praticamente não parava no meio-campo, chegando logo de uma intermediária à outra. Quando o uruguaio Jorge Larrionda apitou o final do primeiro tempo, o estádio Loftus Versfeld aplaudiu animado aquele que foi um dos melhores 45 minutos de futebol do Mundial.

    E a melhor notícia foi que, na segunda parte, o ritmo permaneceu idêntico, se não até melhor. A troca de chances de parte a parte fez com que os goleiros Hamidou Souleymanou e Thomas Sorensen trabalhassem e que a emoção tomasse conta completamente. Mas o único caminho que serviu para de fato transformar volume de jogo em gol foi, de novo, a ponta direita dos dinamarqueses.

    Rommedahl recebeu novo lançamento preciso aos 16 minutos. Dessa vez, no entanto, não foi à linha de fundo para tentar o cruzamento, mas cortou para dentro da área, para seu pé esquerdo. Jean Makoun não bloqueou o seu caminho e, então, com seu pé mais fraco, o veterano atacante do Ajax tocou no canto direito. Ficou longe de ser o último lance de perigo, mas foi, sim, o gol da classificação. Não o da dinamarquesa, em todo caso, mas o primeiro gol que decidiu a história de algum pais – no caso, dois – nesta Copa do Mundo.

    Fim do Jogo : Camarões 1 x 2 Dinamarca

    Fonte: http://pt.fifa.com/worldcup/matches/round=249722/match=300061475/summary.html
    avatar
    FreeAnGeL
    Moderadores
    Moderadores

    Mensagens : 74
    Reputação : 0
    Data de inscrição : 07/06/2010
    Idade : 21
    Localização : Santos - São Paulo

    Re: [Copa do Mundo] Jogos Realizados

    Mensagem por FreeAnGeL em Sab Jun 19, 2010 9:17 pm





    Depois da batalha contra a Itália, a vitória. Pela segunda rodada do Grupo F da Copa do Mundo da FIFA África do Sul 2010, o Paraguai derrotou a Eslováquia por 2 a 0, em Bloemfontein, e pulou para quatro pontos na chave, ficando em boa condição para ganhar uma vaga nas oitavas de final.

    Com uma postura muito mais solta em campo do que no duro confronto com os campeões mundiais, em intenção já exprimida pelo técnico Gerardo Martino com a escalação de Roque Santa Cruz no lugar de Aureliano Torres, a seleção albirroja teve amplo domínio das ações contra os eslovacos, que têm um ponto na chave, ainda com chances de classificação.

    Marcando por pressão no campo adversário, a equipe sul-americana só permitiu a primeira finalização eslovaca aos 37 minutos em um lance de jogada aérea, e, do outro lado, criou muitas oportunidades de gol e aproveitou uma delas, mais que providencial e em grande estilo.

    Ativo, movimentado-se para ambos os lados, aos 27, Lucas Barrios recebeu a bola desta fez na faixa central e chamou a marcação. Por trás dos defensores, Enrique Vera avançou sozinho até o meio da área e recebeu pela assistência do artilheiro, tendo o passe passando pelo meio das pernas de Kornel Salata e encontrado o volante preparado para a finalização de primeira, antes do corte da zaga.

    O detalhe interessante do lance foi que a investida se originou de um roubo de bola após cobrança de lateral dos eslovacos pela direita. Foram duas cobranças seguidas, na verdade, abafadas pela pressão paraguaia no campo ofensivo, com pelo menos cinco jogadores próximos ao setor para impedir a saída de bola. Deu certo.

    Esse tipo de lance se repetiu por várias ocasiões no primeiro tempo, seja para roubo de bola ou para forçar erro nos passes dos adversários europeus. Assim como aos 39 minutos, em que Vera, jogador de fôlego inesgotável, ganhou em dividida pela direita, e a bola correu limpa para Santa Cruz. O veterano atacante avançou com ela e deu toque sutil, rasteiro, na saída do goleiro. Mas Jan Mucha reagiu bem e conseguiu defender com o pé direito.

    No segundo tempo, os paraguaios se colocaram um pouco mais recuados, por precaução e também para economia de energia, devido ao forte ritmo empregado nos primeiros 45 minutos. Isso permitiu à Eslováquia o ganho de maior posse de bola, mas o fato é que a equipe nunca chegou a ser perigosa em demasia e terminou só com quatro finalizações para o gol, a mais perigosa dela nos acréscimos, com bomba de fora da área de Robert Vittek para bela defesa de Justo Villar.

    Os eslovacos tentaram alguns lances pela linha de fundo, mas ficaram apenas nisso. Até que, nos minutos finais, o Paraguai passou a reter mais a bola e avançar gradualmente rumo à área adversária. Aos 86 minutos, em cobrança de falta, o rebote ficou com os paraguaios, mas Paulo da Silva e Óscar Cardozo se atrapalharam na hora da finalização. O zagueiro acabou ficando com ela e rolou para o centro, nos pés de Cristian Riveros, que deu um chute seco na bola, com o peito de pé, e estufou a rede de Mucha.

    Essa foi a sétima vitória do Paraguai na história da Copa do Mundo da FIFA e a quarta por dois gols de diferença, sua maior margem até aqui. Itália x Nova Zelândia, ainda neste domingo, serve para completar a segunda rodada do Grupo F. A rodada final será disputada no dia 24 de junho.

    Fim do Jogo: Eslováqui 0 x 2 Paraguai

    Fonte: http://pt.fifa.com/worldcup/matches/round=249722/match=300061481/summary.html


    Última edição por FreeAnGeL em Dom Jun 20, 2010 10:39 am, editado 1 vez(es)
    avatar
    FreeAnGeL
    Moderadores
    Moderadores

    Mensagens : 74
    Reputação : 0
    Data de inscrição : 07/06/2010
    Idade : 21
    Localização : Santos - São Paulo

    Re: [Copa do Mundo] Jogos Realizados

    Mensagem por FreeAnGeL em Sab Jun 19, 2010 9:17 pm





    A série de surpresas da Copa do Mundo da FIFA teve mais um capítulo neste domingo, com o dramático empate da atual campeã Itália com a Nova Zelândia. O 1 a 1 em Nelspruit complicou bastante a situação da Azzurra na competição e aumentou o histórico de campanhas complicadas em primeiras fases.

    Esta é a terceira vez que a seleção empata seus dois primeiros jogos, repetindo as campanhas de 1982 e 1986. Em ambas, porém, conseguiu se classificar às oitavas, conquistando o título na primeira ocasião e sendo eliminada nas oitavas quatro anos mais tarde. Outro drama veio em 1994, quando passou um sufoco e só avançou pelo saldo de gols, antes de deslanchar rumo à final. Finalmente em 2002, a vaga na segunda fase foi obtida de forma suada, com apenas uma vitória e um empate na última rodada.

    Para piorar, a equipe de Marcello Lippi sem vencer em 2010, acumulando agora quatro empates e uma derrota. Já a Nova Zelândia, apenas a 78ª colocada no Ranking Mundial da FIFA/Coca-Cola, escreve outra página de sua história ao conseguir o segundo ponto em Mundiais, após três goleadas sofridas em 1982 e o empate nos acréscimos da abertura contra a Eslováquia.

    Com o resultado, o Grupo F vê o Paraguai ficar em ótima situação para se classificar até em primeiro lugar. Para isso, os sul-americanos, que têm quatro pontos, precisam apenas de um empate contra os neozelandeses. Já a Itália, com dois, tem de vencer a Eslováquia para não acabar prematuramente eliminada.

    Precisando da vitória justamente para não se desgarrar dos paraguaios, a Azzurra iniciou a partida com postura ofensiva, mas foi a Nova Zelândia que chegou pela primeira vez e logo marcou o gol. Aos sete minutos, a bola alçada na área passou por todo mundo, Fabio Cannavaro não conseguiu afastar, e Shane Smeltz só tocou na saída de Federico Marchetti, que nada pôde fazer. Vale lembrar que o titular Gianluigi Buffon não atuou por estar machucado.

    Após os gol, os All Whites recuaram e não criaram mais no primeiro tempo. Incomodados com o placar, os italianos foram para cima e passaram a pressionar, tendo oportunidades com Giorgio Chiellini, Gianluca Zambrotta e Riccardo Montolivo, que carimbou a trave de Mark Paston em belo chute aos 27.

    Um minuto depois saiu o empate. Após cruzamento da esquerda, Tonny Smith segurou Danielle de Rossi na área, e o juiz marcou pênalti. Na cobrança, Vincenzo Iaquinta deslocou Paston com categoria. Com o 1 a 1, a Itália diminuiu a pressão, mas seguiu com amplo domínio. Assim, a última chance veio somente no final, com De Rossi, em bomba que explodiu no peito do goleiro neozelandês.

    Na volta para o intervalo, Marcello Lippi pôs Mauro Camoranesi e Antonio di Natale nos lugares de Alberto Gilardino e Simone Pepe, o que não chegou a mudar a criatividade no meio e no ataque. O camisa 10 ainda assustou logo em seu primeiro lance, mas foi Montolivo que, de novo com um chutaço de longe, obrigou Paston a ótima defesa.

    A Nova Zelândia seguiu se defendendo bem e até arriscou mais, sempre em cruzamentos longos ou em chutes, um deles com Ivan Vicelich e outro perigosíssimo com Chris Wood, já no final do jogo.

    Desesperada, a Itália partiu para cima de forma desorganizada, abusando das bolas aéreas. Camoranesi ainda tentou um último chute de longa distância, mas o seguro Paston completou a ótima jornada com outra boa defesa pelo alto. No final, o apito do árbitro confirmou o tamanho da zebra: festa da Nova Zelândia em campo e grande decepção dos atuais campeões mundiais.


    Fim do Jogo: Itália 1 x 1 Nova Zelândia

    Fonte: http://pt.fifa.com/worldcup/matches/round=249722/match=300061482/summary.html


    Última edição por FreeAnGeL em Dom Jun 20, 2010 5:39 pm, editado 1 vez(es)
    avatar
    FreeAnGeL
    Moderadores
    Moderadores

    Mensagens : 74
    Reputação : 0
    Data de inscrição : 07/06/2010
    Idade : 21
    Localização : Santos - São Paulo

    Re: [Copa do Mundo] Jogos Realizados

    Mensagem por FreeAnGeL em Sab Jun 19, 2010 9:18 pm



    A principal notícia do dia na Copa do Mundo da FIFA África do Sul 2010 não soa exatamente como novidade: o Brasil está classificado, com uma rodada de antecedência, para as oitavas de final do torneio.

    Dois belos gols de Luís Fabiano e um de Elano deram à Seleção a vitória por 3 a 1 sobre a Costa do Marfim no estádio Soccer City, em Johanesburgo, que valeu à equipe de Dunga a passagem para a próxima fase da competição, com seis pontos. É a quinta vez consecutiva – ou seja, desde que os três pontos por vitória foram instaurados no Mundial, em 1994 – que a Seleção chega á última rodada da fase de grupos já com sua vaga assegurada.

    Não foi essa a única escrita mantida no Soccer City: a Seleção Brasileira manteve seu aproveitamento de 100% em partidas de Copa do Mundo diante de equipes africanas. São agora seis jogos só de vitórias.

    Entre tantas boas notícias – incluindo aí a boa atuação de Kaká, responsável por dois passes para gol -, houve notas de preocupação, já que Elano entrou numa dividida dura com Ismael Tioté pouco depois de marcar o terceiro gol e saiu de campo de maca, substituído por Daniel Alves. E ainda mais quando, a dois minutos do fim, quando a partida era ríspida e nervosa, Kaká foi expulso de campo com seu segundo amarelo.

    Os brasileiros, sem Kaká, suspenso, fecham sua participação no Grupo G no dia 25, em Durban, quando enfrentam Portugal – que entra em campo nesta segunda-feira, na Cidade do Cabo, diante da Coreia do Norte. Os africanos enfrentam os norte-coreanos, também no dia 25.

    Golaços para abrir o caminho
    Os primeiros 15 minutos de jogo foram de um curioso estudo tático de lado a lado. Duas equipes que têm no contra-ataque um de seus principais pontos fortes, Brasil e Costa do Marfim pareciam esperar um ao outro para ver quem tomaria primeiro a iniciativa de atacar e, com isso, abrir espaços.

    O resultado foi um jogo sem chances, jogado de intermediária a intermediária, com poucos jogadores da linha de defesa se aproximando dos atacante – uma das exceções, como sempre, sendo o lateral direito brasileiro Maicon.

    A única solução para quebrar o ritmo era o talento individual, e foi por meio dele que o Brasil abriu o placar aos 25: Robinho tocou para Luís Fabiano na entrada da área, o centroavante deu um lindo passe de calacanhar para Kaká, que, em sua primeira boa jogada na partida, deixou o camisa 9 na cara do gol para acertar uma bomba alta no canto esquerdo de Boubacar Barry. Foi o primeiro gol de Luís Fabiano após seis jogos sem marcar – seu maior período de seca com a camisa da Seleção – e seu 26º em 40 jogos com a Amarelinha.

    Mas nem o gol foi capaz de abrir de vez o jogo. Foi só aos poucos, e timidamente, que os marfinenses começaram a incorporar seus laterais ao jogo e a ceder mais espaços para o contra-ataque brasileiro – que, no entanto, pouco conseguiu criar até o final da primeira parte.

    Qualquer dúvida quanto à equipe de Sven-Göran Eriksson se abrir de fato ou não acabou logo aos cinco minutos da segunda parte. E, mais uma vez, graças a Luís Fabiano, com um goalço. O atacante do Sevilla recebeu uma bola dividida na entrada da área, pelo lado direito. Deu um balãozinho para tirar Didier Zokora da jogada, aplicou um chapéu em Siaka Tiene e, de esquerda, bateu no canto.

    A vantagem era tudo de que a veloz equipe do Brasil precisava para se soltar de vez. As chances apareciam, Kaká participava mais e mais do jogo e, aos 17, foi ele quem criou o lance do terceiro: arrancada pela ponta esquerda, daquelas dignas de suas melhores fases, e o cruzamento rasteiro, preciso para Elano escorar e marcar seu segundo gol na Copa.

    O camisa 7, pouco depois, se lesionou. A Costa do Marfim foi para o ataque, o Brasil encontrou espaço para trocar belos passes e, ainda na metade do segundo tempo, as quase 85 mil pessoas já gritavam “olé”. Aquele jogo morno da primeira etapa já era coisa do passado. Entre as chances criadas pelos brasileiros e o ímpeto dos “Elefantes”, quem conseguiu resultado foi Didier Drogba. O centroavante do Chelsea recebeu sozinho um cruzamento de Touré Yaya aos 34 minutos e, de cabeça, marcou o primeiro gol da Costa do Marfim no torneio.

    O jogo, então, ficou nervoso e ríspido. Mais do que chances, o que se viram foram divididas, faltas duras, nervosismo e, aos 43 minutos, um segundo cartão amarelo para Kaká, que fica de fora da partida contra os portugueses.

    Depois do apito final, porém, os ânimos se acalmaram, e os jogadores se confraternizaram em campo, trocando cumprimentos e camisas.

    Fim do Jogo: Brasil 3 x 1 Costa do Marfim

    Fonte: http://pt.fifa.com/worldcup/matches/round=249722/match=300061488/summary.html
    avatar
    FreeAnGeL
    Moderadores
    Moderadores

    Mensagens : 74
    Reputação : 0
    Data de inscrição : 07/06/2010
    Idade : 21
    Localização : Santos - São Paulo

    Re: [Copa do Mundo] Jogos Realizados

    Mensagem por FreeAnGeL em Seg Jun 21, 2010 11:36 am





    A Cidade do Cabo assistiu à primeira vitória de Portugal na Copa do Mundo da FIFA 2010. E que vitória. A selecção lusa bateu a Coreia do Norte por 7-0 e ficou numa excelente posição para garantir a presença nos oitavos-de-final da competição.

    A selecção nacional passa a somar mais três pontos do que a Costa do Marfim, com quem havia empatado na primeira jornada, e, tão importante como isso, conseguiu ficar com uma diferença de golos (primeiro critério de desempate) claramente melhor que os africanos. A equipa das Quinas tem sete marcados e nenhum sofrido, enquanto os marfinenses marcaram apenas um golo e sofreram três. Assim, só dois resultados incríveis na derradeira ronda, nos jogos Brasil-Portugal e Costa do Marfim-Coreia do Norte, podem destruir o sonho luso.

    Num Estádio Green Point totalmente lotado, com mais de 63 mil pessoas, e num início de tarde chuvoso, Portugal conseguiu a sua maior vitória de sempre em fases finais de Campeonatos do Mundo, superando por muito os 4-0 com que tinha brindado a Polónia, na primeira fase do Mundial de 2002. Mas o jogo até não foi tão fácil como o resultado pode indicar. A Coreia do Norte equilibrou bastante os acontecimentos na primeira parte, mas três golos em apenas sete minutos do segundo tempo resolveram o problema asiático e lançaram a selecção das Quinas para uma exibição fantástica.

    Já depois de Cristiano Ronaldo ter testado a atenção do guarda-redes coreano, Portugal teve uma oportunidade de ouro para abrir o marcador, aos seis minutos. Ricardo Carvalho lançou o contra-ataque e foi o próprio defesa central que, na área adversária, concluiu a jogada com um remate para fora.

    A selecção das Quinas entusiasmava o Estádio Green Point e a sorte não queria nada com Ricardo Carvalho. Menos de 60 segundos depois da oportunidade anterior, e na sequencia de um pontapé de canto, o central do Chelsea cabeceou ao poste.

    Depois de ter sentido a pressão lusa nos primeiros minutos, a Coreia do Norte respondeu com um remate perigoso do defesa direito Jong Cha e uma iniciativa de Tae Jong que, bem lançado, não conseguiu controlar a bola.

    Foi um pequeno aviso para o que estava para acontecer: aos 18 minutos, um remate de Hong proporcionou uma defesa simplesmente brilhante a Eduardo e, na recarga, Pak cabeceou por cima do alvo. A Coreia mostrava serviço, rematava sempre que podia e até foi no melhor período dos coreanos que Portugal chegou ao golo, aos 29 minutos.

    Tiago, com um passe magistral e grande visão de jogo, lançou Raul Meireles na área e o jogador do FC Porto, à saída de Guk Ri, atirou forte e rasteiro para o primeiro golo da selecção no Mundial 2010. A dupla de médios quase repetia a proeza pouco depois, com um centro de Tiago a atrapalhar um defesa coreano que colocou a bola nos pés de Meireles, mas desta vez o remate não levou a direcção desejada.

    Portugal acabou a primeira parte como a tinha começado: ao ataque. Um remate de Ronaldo passou perto do poste esquerdo e foi por muito pouco que Hugo Almeida falhou um desvio de calcanhar, após centro de Fábio Coentrão.

    Sete minutos loucos
    O cenário não mudou no segundo tempo e logo no primeiro minuto Tiago testou a atenção de Ri com um pontapé de fora da área que o guarda-redes coreano desviou para canto. A Coreia do Norte ainda voltou a ameaçar a baliza de Eduardo, que mostrou muita atenção e segurança para ssegurar o remate de Tae Se.

    O encontro estava muito movimentado, e interessante, e aos 51 minutos Ronaldo lançou Fábio Coentrão na esquerda, o defesa cruzou para o coração da área onde surgiu Hugo Almeida a desviar para fora. Os adeptos portugueses, em grande maioria no estádio, desesperavam pelo segundo golo, mas, afinal, não tiveram de esperar muito. Aos 53, Hugo Almeida deixou a bola para Raul Meireles que isolou Simão e o extremo atirou para o 2-0.

    De repente, as dificuldades portuguesas desapareçam. Mais três minutos, mais uma jogada fantástica e mais um golo de Portugal: Tiago lançou a corrida de Fábio Coentrão na esquerda, o defesa do Benfica cruzou para o sítio certo e Hugo Almeida, de cabeça, ampliou a vantagem.

    Ronaldo tanto tentou que...
    Entusiasmados, os jogadores portugueses não tiraram o pé do acelerador e, aos 60 minutos, Cristiano Ronaldo conduziu um contra-ataque pelo flanco esquerdo e assinou uma assistência perfeita para o quarto golo, marcado por Tiago. O avançado do Real Madrid procurou, também ele, inscrever o seu nome na lista de marcadores, mas tal como tinha acontecido com a Costa do Marfim, não teve a sorte do seu lado quando aos 71 minutos, acertou em cheio no poste coreano.

    As oportunidades continuavam a surgir a um ritmo louco – Ronaldo ofereceu mais dois golos que Meireles e Coentrão desperdiçaram - e o quinto golo aconteceu à entrada dos últimos dez minutos. Um corte falhado de um defesa coreano deu a chance que Liedson precisava. O ponta-de-lança, que havia substituído Hugo Almeida, não costuma falhar e não falhou mesmo.

    Mas ainda faltava algo à tarde de sonho. Ronaldo, que não marcava em jogos oficiais desde o Campeonato da Europa de 2008, conseguiu mesmo o que tanto procurou aos 87 minutos, elevando a contagem para a meia dúzia e que acabaria por não ficar por aí. Aos 89, Tiago, de cabeça, bisou no encontro e estabeleceu o 7-0 final. Um resultado inesquecível.

    Fim do Jogo: Portugal 7 x 0 Coréia do Norte

    Fonte: http://pt.fifa.com/worldcup/matches/round=249722/match=300061487/summary.html
    avatar
    FreeAnGeL
    Moderadores
    Moderadores

    Mensagens : 74
    Reputação : 0
    Data de inscrição : 07/06/2010
    Idade : 21
    Localização : Santos - São Paulo

    Re: [Copa do Mundo] Jogos Realizados

    Mensagem por FreeAnGeL em Seg Jun 21, 2010 1:30 pm





    A defesa da Suíça entrou para a história, mas não levou os três pontos. Submetida aos mais diferentes testes e a uma forte pressão, nesta segunda-feira, a retaguarda helvética conseguiu a maior série de minutos sem levar um gol em jogos de Copa do Mundo, mas acabou derrotada pelo Chile, em Port Elizabeth.

    No minuto 67, os suíços chegaram ao recorde do torneio, somando 551 invictos. Oito minutos depois, porém, os sul-americanos trataram de derrubar essa muralha, com um gol de Mark González, que havia entrado no início do segundo tempo. O Chile tem agora seis pontos em duas rodadas pelo Grupo H, muito perto da classificação para as oitavas de final. O confronto entre Espanha e Honduras ainda completará a rodada a partir das 20h30 locais (15h30 em Brasília, 19h30 em Lisboa).

    Depois de quatro partidas invulneráveis na Alemanha 2006, a Suíça enfim tomou um gol na África do Sul 2010. Franceses, togoleses, sul-coreanos, ucranianos e espanhóis haviam esbarrado neste paredão. O talentoso e veloz time chileno se recusou a participar desse grupo.

    A queda de uma barreira
    O Chile começou a partida (o quarto confronto entre as seleções e o segundo em Copa do Mundo) com uma formação de 3-4-3, na qual o técnico Marcelo Bielsa abusa da versatilidade de seus homens de marcação, que atuam com eficiência tanto como alas, volantes ou zagueiros.

    Já a Suíça adotou a mesma postura do jogo contra a Espanha,com um time de imponente porte físico, fechando seu campo de defesa com oito ou nove homens em um típico paredão, tentando tirar o ritmo de jogo dos sul-americanos. Suas iniciativas de ataque consistiam em bolas lançadas à área, à espera de algum erro ou desatenção do rival, tal como contra a Espanha.

    Depois de num bom início de jogo dos chilenos, que tiveram seu melhor momento aos dez minutos com duas bombas de fora da área consecutivas de Arturo Vidal e Carlos Carmona que exigiram boas defesas de Diego Benaglio, os helvéticos estabeleceram esse ritmo rompedor por 20 minutos, até a expulsão de Valon Behrami (a primeira na história para um jogador do país no torneio).

    Com um homem a mais em campo, a Roja avançou um pouco mais seus alas quando tinha a posse de bola e passou a povoar o ataque em busca de alternativas, especialmente com Alexis Sánchez e Jean Beausejour abertos pelas pontas. E as chances de gol foram aparecendo, compondo uma pressão até o fim do primeiro tempo. A principal delas aconteceu aos 40 minutos, quando Sánchez recebeu cruzamento na área ,matou no peito e chutou em cima de Benaglio, bem colocado.

    Para o segundo tempo, Bielsa mexeu em seu time e colocou o atacante Mark González no lugar de Vidal, que estava jogando na ala esquerda, impulsionando seu time de vez para o ataque. Além disso, Jorge Valdivia entrou no lugar do artilheiro Humberto Suazo, que ainda busca sua melhor forma, depois de se recuperar de uma lesão muscular.

    Desta forma, a pressão foi ainda maior, quase surtindo efeito já aos 48 minutos, quando Sánchez chutou da entrada da área, pelo centro e rasteiro, e a bola entrou. Mas o gol acabou anulado devido ao impedimento de González, que viu a bola correr em sua direção, na pequena área.

    Depois, aos dez do segundo, Sanchez tentou novamente, agora se beneficiando de erro na saída de bola suíça e avançando com ela pela direita. Quando preparou o chute, o goleiro Benaglio já havia fechado o ângulo para fazer grande defesa. Na sobra, Steve Von Bergen afastou para escanteio.

    Foi daí para frente. A Suíça se defendia a cada ataque chileno rigorosamente com oito jogadores, da zona intermediária para trás. Somente aos 30 é que o gol saiu. Em jogada trabalhada pelos três homens que Bielsa mandou a campo no segundo tempo. Valdivia encontrou Esteban Paredes (que havia substituído Matias Fernández) com espaço pela direita. O meia-atacante foi à linha de fundo e cruzou. Livre no segundo pau, González cabeceou para dentro, enfim balançando a rede suíça.

    Até o final da partida, Paredes e González ainda perderiam duas chances incríveis. O time quase pagou um preço incrível. A um minuto do fim, o ataque suíço fez uma rara jogada ofensiva, com direito a linha de passe que começou pela direita e encontrou o atacante Eren Derdiyok livre no centro da área. Sua finalização buscou o canto direito de Claudio Bravo e acabou indo para fora.

    Apesar do susto, o Chile pode comemorar o 1 a 0 como se fosse uma goleada. A seleção parte com confiança para a terceira e última rodada do Grupo H, primeiro por ocupar a liderança e, talvez mais importante, por ter agora a fama do time que superou o ferrolho armado pelos suíços.


    Fim do Jogo: Chile 1 x 0 Suiça

    Fonte: http://pt.fifa.com/worldcup/matches/round=249722/match=300061493/summary.html
    avatar
    FreeAnGeL
    Moderadores
    Moderadores

    Mensagens : 74
    Reputação : 0
    Data de inscrição : 07/06/2010
    Idade : 21
    Localização : Santos - São Paulo

    Re: [Copa do Mundo] Jogos Realizados

    Mensagem por FreeAnGeL em Seg Jun 21, 2010 5:43 pm





    Ainda não foi a atuação que a torcida tanto esperava. Mas ao menos a vitória por 2 a 0 sobre Honduras serviu para a Espanha apagar a confusa atuação da estreia, na surpreendente derrota para a Suíça. Assim como no primeiro jogo, a seleção dominou completamente o duelo, criou inúmeras chances de gol, mas não deslanchou.

    De qualquer forma, o resultado manteve a Fúria viva no Grupo H. Com três pontos e saldo de um gol positivo, assumiu a segunda colocação, à frente da Suíça, que tem o mesmo total, mas sem saldo. Assim, vai para cima do Chile na última rodada precisando de uma vitória, que, dependendo de outros resultados, pode ser suficiente para garantir o primeiro lugar.

    Depois de passar em branco na primeira partida, David Villa finalmente brilhou. O atacante do Barcelona marcou os dois gols da partida e chegou a 40 com a seleção. Na Copa do Mundo da FIFA, juntou-se a Luís Fabiano, Elano, Asamoah Gyan e Diego Forlán, mas poderia até ter se igualado a Gonzalo Higuaín se não tivesse desperdiçado um pênalti na segunda etapa.

    Com a obrigação de vencer para seguir viva, o técnico Vicent Del Bosque promoveu mudanças na equipe titular. Andrés Iniesta, machucado, e David Silva foram substituídos por Fernando Torres e Jesís Navas, que passou a fazer a condução para o ataque. Apesar da escalação diferente, o que não mudou foi a postura: extremamente ofensiva, a equipe criou oportunidades claras desde os primeiros minutos.

    Logo aos seis, Villa mostrou seu cartão ao goleiro Noel Valladares, acertando uma bomba de longa distância no travessão. Até os 15, outras duas oportunidades já haviam sido perdidas, com Sergio Ramos e novamente Villa. Na terceira do atacante, porém, saiu o gol. Em ótima jogada individual, ele passou pelo meio de dois zagueiros, cortou um terceiro e chutou no ângulo do goleiro, que se esticou e nada pôde fazer.

    O gol serviu como alívio a um grupo visivelmente ansioso em campo. Mas os erros de conclusão seguiram se acumulando. Torres mostrou não estar em sua melhor forma, ao não aproveitar duas chances claras seguidas, a primeira de cabeça, quase dentro da pequena área, e outra em chute na linha da grande área.

    O amplo domínio seguiu até o fim do primeiro tempo, sendo que Hondura fosse capaz de incomodar o gol de Iker Casillas. Na volta do intervalo, a primeira jogada resultou em gol. Xavi Hernández iniciou a jogada pelo meio, passou para Navas, que encontrou Villa em condição de chutar. O atacante arriscou de longe e a bola ainda desviou na zaga, matando Valladares.

    Com a vitória praticamente garantida contra um rival pouco eficiente, a Espanha partiu para tentar aumentar o saldo de gols. E teve a oportunidade de fazer após um pênalti cometido em Navas. Villa pegou a bola, respirou, mas errou o alvo.

    Pouco depois, Del Bosque tentou outras duas cartadas colocando Cesc Fabregas e Ruben Mata nos lugares de Xavi e Torres. A Fúria seguiu em cima, tocando a bola muitas vezes dentro da área hondurenha, mas pecava nos passes finais. Quando chegou bem, com Fabregas, que driblou o goleiro, a zaga tirou quase em cima da linha. Antes do apito, o mesmo Villa quase marcou o terceiro.

    Com o placar enxuto, os espanhóis precisarão agora de muita concentração no duelo contra os líderes.


    Fim do Jogo: Espanha 2 x 0 Honduras

    Fonte: http://pt.fifa.com/worldcup/matches/round=249722/match=300061494/summary.html
    avatar
    FreeAnGeL
    Moderadores
    Moderadores

    Mensagens : 74
    Reputação : 0
    Data de inscrição : 07/06/2010
    Idade : 21
    Localização : Santos - São Paulo

    Re: [Copa do Mundo] Jogos Realizados

    Mensagem por FreeAnGeL em Ter Jun 22, 2010 8:02 pm



    A injeção de moral que tomou conta da seleção uruguaia depois de derrotar a África do Sul por 3 a 0 na segunda rodada do Grupo A se manteve intacta nesta terça-feira no Estádio Royal Bafokeng, em Rustemburgo. Com um gol de cabeça de Luis Suárez no final do primeiro tempo, o Uruguai bateu o México por 1 a 0 e assegurou sua vaga às oitavas de final da Copa do Mundo da FIFA África do Sul 2010 como líder da chave, com sete pontos.

    Apesar da derrota, os mexicanos também estão classificados como segundos colocados: terminaram com os mesmos quatro pontos dos sul-africanos – que bateram a França por 2 a 1 -, mas com saldo de gols superior (+ 1, contra -2 dos Bafana Bafana).

    Com isso, os uruguaios – que passaram toda a primeira fase sem sofrer um só gol, a 11ª equipe até hoje a conseguir o feito – voltam às oitavas de final da Copa do Mundo depois de 20 anos de ausência, desde a Itália 1990. Os bicampeões mundiais, assim como os mexicanos, esperam agora a definição do Grupo B para conhecerem seus adversários.

    Suárez resolve

    As duas equipes mantiveram a formação e o ímpeto ofensivos que haviam demonstrado nas duas primeiras rodadas. E, para complicar para o lado dos mexicanos, a defesa pareceu entrar em campo nervosa. Foram muitos erros de passe e falhas na saída de bola que cederam chances ao ataque sul-americano. A principal foi logo aos seis minutos, quando Luis Suárez aproveitou uma bobeada dos dois zagueiros centrais e saiu na cara do goleiro Oscar Pérez. O tiro cruzado saiu triscando a trave direita.

    Mas não demorou para que o equilíbrio se mostrasse presente: o México mantinha a posse de bola por mais tempo e criava boas oportunidades – como um tiraço de Andrés Guardado no travessão aos 23 minutos -, mas o contra-ataque uruguaio, com Diego Forlán servindo de ponte para fazer a bola chegar a Suárez e Edinson Cavani, funcionava e levava perigo.

    Numa dessas ocasiões em que o meio-campo mexicano se abriu e o Uruguai recuperou a bola, saiu o gol: aos 43 minutos, Cavani recebeu pela intermediária, do lado direito, e foi veloz para encontrar Suárez no segundo pau. Sozinho, o atacante do Ajax tocou de cabeça e abriu o placar.

    Diante da vitória parcial da África do Sul sobre a França em Bloemfontein, ameaçado, o México decidiu partir para cima no segundo tempo. Javier Hernández entrou no lugar de Cuauhtémoc Blanco e deu mais velocidade à equipe, que controlou definitivamente a posse de bola. Aos 19, o zagueiro Francisco Rodríguez desviou de cabeça um cruzamento de Pablo Barrera e por muito pouco não deu o empate aos Astecas.

    Mas prevaleceu, no final das contas, a efetividade do ataque uruguaio. A dupla Forlán e Suárez fez aquilo que deles se esperava na primeira fase: marcou gols, garantiu vitórias e, com isso, a classificação para a segunda fase num grupo difícil. Enquanto isso, a dura defesa segue invencível após as três partidas da primeira fase. Mais do que o suficiente para que não haja dúvidas: pintou um adversário complicado para a fase de mata-mata.

    Fim do Jogo: México 0 x 1 Uruguai

    Fonte: http://pt.fifa.com/worldcup/matches/round=249722/match=300061450/summary.html
    avatar
    FreeAnGeL
    Moderadores
    Moderadores

    Mensagens : 74
    Reputação : 0
    Data de inscrição : 07/06/2010
    Idade : 21
    Localização : Santos - São Paulo

    Re: [Copa do Mundo] Jogos Realizados

    Mensagem por FreeAnGeL em Ter Jun 22, 2010 8:03 pm





    Por 45 minutos o milagre que poderia levar a África do Sul às oitavas de final pareceu ser possível. Com dois gols de vantagem, um jogador a mais em campo e a vitória parcial do Uruguai no outro jogo da chave, os Bafana Bafana foram para o intervalo em Bloemfontein precisando de mais dois gols para concretizar o sonho.

    Mas o ímpeto inicial diminuiu quando a França marcou o seu na metade do segundo tempo. Com o placar final em 2 a 1, os donos da casa deixaram o estádio com um misto de sentimentos: apesar da felicidade pela primeira vitória na Copa do Mundo da FIFA, havia sobretudo a tristeza pela eliminação na fase de grupos, a primeira de um anfitrião na história dos Mundiais.

    Por outro lado, para a França a derrota confirmou o péssimo momento vivido em 2010, que culminou com uma crise interna durante a competição e a exclusão de Nicolas Anelka do grupo após o jogo contra o México. Sem vitórias, restou aos vice-campeões de 2006 comemorar o gol marcado por Florent Malouda no segundo tempo, que ao menos impediu outra campanha zerada como a de 2002.

    Após os dois jogos desta terça-feira, o Grupo A terminou com o Uruguai como primeiro colocado com sete pontos. O país espera agora pelo segundo colocado do Grupo B. Já o México, com quatro pontos, passou em segundo graças ao melhor saldo de gols que os sul-africanos. A equipe de Javier Aguirre encara nas oitavas o primeiro do B, hoje a Argentina.

    Na partida, a França entrou em campo disposta a deixar uma imagem mais positiva após os problemas durante a semana. Para tentar mexer com o ânimo dos campeões mundiais de 1998, o técnico Raymond Domenech promoveu cinco mudanças, colocando em campo jogadores como Yoann Gourcuff, Djibril Cissé, André-Pierre Gignac, Alou Diarra e Sebastien Squillaci. Logo aos dois minutos, em jogada de dois deles (Gourcuff e Gignac), o país quase marcou.

    No entanto, o ímpeto durou pouco. Também sonhando com a vaga e empurrada por uma fanática torcida em Bloemfontein, a África do Sul avançou e foi recompensada aos 20 minutos, quando já tinha domínio do jogo. Em escanteio de Siphiwe Tshabalala, Hugo Lloris saiu mal e Bongani Khumalo ganhou de cabeça para abrir o placar.

    Com a vantagem e o sonho ainda vivo, os Bafana Bafana se empolgaram, e a situação piorou para a França aos 25 minutos, com a expulsão de Gourcuff, que entrou duro em MacBeth Sibaya em dividida pelo alto.

    Com mais intensidade em campo, os anfitriões continuaram levando perigo e chegaram ao segundo aos 37 minutos. Dentro da área, Tsepo Masilela cruzou, a bola encontrou Mphela, que ganhou a dividida com Diaby em cima de linha e apenas empurrou para o gol vazio.

    Um minuto depois, Bernard Parker chegou a marcar, mas o gol foi corretamente anulado. A esperança da torcida aumentou quando, no outro jogo, o Uruguai abriu o marcador. Àquela altura, dois gols seriam suficientes para levr o país às oitavas.

    Na volta para o segundo tempo, a África do Sul teve de cara uma chance incrível, de novo com Tshabalala tocando no meio da zaga para Mphela. O atacante apareceu na cara de Lloris, mas acertou a trave. O camisa 9 ainda assustou pouco depois, em belo chute defendido pelo goleiro do Lyon.

    Mesmo com um a menos, a França melhorou após as entradas de Malouda e Thierry Henri e passou a tocar a bola com mais tranquilidade, enquanto os donos da casa perdiam intensidade. O sonho praticamente se encerrou em contra-ataque rápido, que encontrou Ribéry no meio da zaga. O francês tirou do goleiro e deixou o gol para Malouda apenas empurrar.

    O gol mudou a história do confronto. Abatidos, os sul-africanos pouco fizeram até o final – com exceção a um chute à queima roupa de Tshabalala –, enquanto os franceses também não ousavam, aparentemente satisfeitos com o gol que encerrou o longo jejum. Com o apito final, a torcida aplaudiu os Bafana Bafana, enquanto a França deixou o campo pensando em 2014.


    Fim do Jogo: França 1 x 2 África do Sul

    Fonte: http://pt.fifa.com/worldcup/matches/round=249722/match=300061449/summary.html
    avatar
    FreeAnGeL
    Moderadores
    Moderadores

    Mensagens : 74
    Reputação : 0
    Data de inscrição : 07/06/2010
    Idade : 21
    Localização : Santos - São Paulo

    Re: [Copa do Mundo] Jogos Realizados

    Mensagem por FreeAnGeL em Ter Jun 22, 2010 8:04 pm



    A Coreia do Sul passou 26 minutos em desvantagem no placar diante da Nigéria e eliminada das oitavas de final da Copa do Mundo da FIFA África do Sul 2010. Virou o jogo, pareceu ter sua situação sob controle, mas, depois de um pênalti infantil, ainda precisou sofrer muito antes de garantir sua passagem como segunda colocada do Grupo B.

    Com o empate em 2 a 2 em Durban, os sul-coreanos chegaram a quatro pontos e se classificaram para enfrentar o Uruguai, vencedor do Grupo A, no próximo dia 26, em Nelson Mandela Bay/Port Elizabeth. Antes dessa definição, porém, a equipe asiática precisou sofrer.

    Primeiro, porque a Grécia aguentou um empate diante da Argentina até os 32 minutos do segundo tempo – o que significava que a qualquer momento os gregos poderiam estragar a festa. E também porque, depois de sofrerem o empate aos 24 da segunda parte, os sul-coreanos passaram a estar a apenas um gol da eliminação. E bem que a Nigéria teve suas chances.

    No final das contas – e aqui literalmente -, o empate contra os africanos valeu à Coreia do Sul a segunda classificação de sua história para a segunda fase de uma Copa do Mundo. Resta ver agora se o restante da campanha terá alguma feliz semelhança com a outra ocasião, em 2002, quando o então pais anfitrião alcançou a semifinal.

    Gangorra
    Os sul-coreanos começaram melhor e tiveram uma chance logo nos primeiros minutos, com Lee Chung Yong. A Nigéria sequer havia passado do meio-campo até os 12 minutos de jogo, quando o lateral Chidi Odiah avançou feito um trem até a linha de fundo e cruzou rasteiro para o meio da area. Kalu Uche – que já havia marcado diante da Grécia - se antecipou a Cha Du Ri e escorou para o gol.

    Uche foi um verdadeiro terror para a defesa sul-coreana no primeiro tempo, e a impressão era de que, a qualquer momento, o segundo gol nigeriano chegaria para colocar mais pressão sobre os asiáticos. No entanto, num lance aparentemente inocente, a Coreia do Sul chegou ao empate por meio de um lance pelo qual a equipe não é exatamente famosa: uma bola alta na área. A cobrança de falta de Ki Sung Yueng encontrou Lee Jung Sao no segundo pau: ele tentou cabecear, errou o tempo da bola, mas ainda a viu tocar em seu pé e morrer dentro do gol. Naquele instante, era o gol da classificação do time às oitavas de final.

    Logo no início do segundo tempo, a situação ficou ainda mais confortável para os asiáticos: aos quatro minutos, Park Chu Young bateu falta do bico da grande área. Victor Enyeama não viu a bola e já vinha se dirigindo ao canto direito, esperando uma cobrança por cima da barreira. Mas o tiro, rasante, foi no canto em que o goleiro se encontrava. Eram os sul-coreanos na frente, com a mão na vaga.

    Acontece que os nigerianos haviam entrado em campo dispostos a lutar até o fim pela possibilidade de se classificarem. O empate ficou muito próximo aos 21 minutos, quando, após um bom passe de Uche para Yusuf Ayila, o passe chegou preciso para Yakubu Ayegbeni dentro da pequena área, sem goleiro. O atacante do Everton perdeu ou gol mais incrível desta Copa até aqui: tocou de chapa, manso, ao lado da trave.

    A compensação, ao menos, veio em seguida: aos 24, Kim Nam Il tentou sair jogando dentro da área, perdeu a bola e, em seguida, acertou um carrinho em Chinedu Ogbuke Obasi. Pênalti que Yakubu converteu com tranquilidade para decretar o 2 a 2. Para a Nigéria ainda era pouco, mas os sul-coreanos começavam a sentir a pressão. Era, afinal, apenas o número de gols marcados que os assegurava nas oitavas de final naquele instante.

    Minutos depois, em Polokwane, a Argentina abria o placar diante da Grécia com Martín Demichelis. Isso significava problemas para as chances dos gregos, mas, por outro lado, permitia que a Nigéria sonhasse com a classificação apenas com um gol marcado.

    E o tal gol redentor esteve próximo. Sabendo quão próximos estavam de um inesperado lugar nas oitavas, a Nigéria partiu para o ataque e não duvidou em chutar de longe para o gol. Em duas dessas ocasiões, uma delas já aos 44 minutos, a torcida sul-coreana prendeu a respiração. O último dos muitos sustos da noite acertou a rede pelo lado de fora. A vitória sobre os gregos na estreia acabou fazendo a diferença.


    Fim do Jogo: Nigéria 2 x 2 Coréia do Sul

    Fonte: http://pt.fifa.com/worldcup/matches/round=249722/match=300111115/summary.html
    avatar
    FreeAnGeL
    Moderadores
    Moderadores

    Mensagens : 74
    Reputação : 0
    Data de inscrição : 07/06/2010
    Idade : 21
    Localização : Santos - São Paulo

    Re: [Copa do Mundo] Jogos Realizados

    Mensagem por FreeAnGeL em Ter Jun 22, 2010 8:05 pm





    Praticamente classificada, a Argentina poupou esforços, entrou em campo com sete jogadores que não começaram a última partida e fez o básico: venceu a Grécia por 2 a 0, nesta terça-feira, e garantiu sua vaga nas oitavas de final da Copa do Mundo da FIFA África do Sul 2010 com um empate, em Polokwane.

    Com o triunfo em um jogo morno, o time do técnico Diego Armando Maradona terminou a primeira fase com nove pontos, 100% de aproveitamento e a liderança do Grupo B. Nas oitavas de final, a seleção vai enfrentar o México. Com três pontos, a Grécia está eliminada. A segunda vaga da chave ficou com a Coreia do Sul.

    Maradona efetuou sete mudanças em relação ao time que goleou a Coreia na segunda rodada, sendo uma delas por motivo de suspensão (Jonas Gutiérrez saiu) e outra por lesão (Walter Samuel). De resto, lançou os atacantes Kun Agüero e Diego Milito, o meia Juan Verón, o defensor Nicolas Otamendi e o lateral-esquerdo Clemente Rodríguez para descansar algumas de suas peças.

    Além disso, durante a partida, o treinador ainda deu chances para o veterano Martín Palermo e para o jovem Javier Pastore substituindo Milito e Agüero, respectivamente, dando chance para praticamente todo o seu elenco no Mundial. Em três partidas, ele apenas não escalou os goleiros reservas Diego Pozo e Mariano Andújar e o defensor Ariel Garce.

    Desta forma, a equipe albiceleste acabou perdendo um pouco do entrosamento e ritmo de jogo que apresentou em suas duas primeiras belas apresentações em território sul-africano. Ainda assim, foi superior aos gregos durante todo o confronto, mas apostando mais em jogadas pela linha de fundo do que em tabelas e rápidos deslocamentos ofensivos.

    A Grécia jogou com muita cautela em Polokwane, talvez de olho no regulamento. Por 26 minuto, entre o primeiro gol da Nigéria e o empate da Coreia do Sul no outro duelo da chave, a equipe campeã europeia de 2004 tinha uma vaga em mãos. Ao depender mais do resultado de seus rivais do que seu, porém, acabou ficando fora.

    Em suas poucas investidas, a Grécia apostava basicamente em bolas longas lançadas em direção do voluntarioso centroavante Georgios Samaras que resultavam em poucos lances produtivos. No melhor deles, aos 48 minutos, ele trombou com os defensores rivais, conseguiu um bom ângulo para a finalização na área e chutou cruzado. A bola passou pelo goleiro Sergio Romero, mas foi para fora, próxima à trave esquerda.

    A Argentina, por seu lado, tentava criar mais, embora não em um ritmo intenso. E, quando chegava à meta grega, acabava esbarrando no goleiro Alexandros Tzorvas, que atuou com muita segurança e fez boas defesas.

    Os dois gols do jogo saíram apenas em sua fração final, aos 77 e 89 minutos, respectivamente com Martin Demichelis e Palermo. O primeiro saiu em jogada de bola parada. Após cobrança de escanteio da esquerda, Demichelis ganhou pelo alto e cabeceou em cima de Diego Milito. O próprio zagueirão aproveitou o rebote para encher a rede. O segundo veio após grande jogada de Messi, que fez fila e bateu forte da entrada da área. Tzorvas rebateu, e o experiente centroavante do Boca Juniors bateu com categoria, de chapa, no canto esquerdo do goleiro, rasteiro.

    A Argentina encerrou sua campanha na fase de grupos com sete gols marcados e apenas um sofrido, dando continuidade à ótima campanha dos times sul-americanos na Copa do Mundo da FIFA 2010. Agora, os representantes do continente acumulam dez vitórias e dois empates em 12 confrontos.

    Fim do Jogo: Grécia 0 x 2 Argentina

    Fonte: http://pt.fifa.com/worldcup/matches/round=249722/match=300061455/summary.html
    avatar
    FreeAnGeL
    Moderadores
    Moderadores

    Mensagens : 74
    Reputação : 0
    Data de inscrição : 07/06/2010
    Idade : 21
    Localização : Santos - São Paulo

    Re: [Copa do Mundo] Jogos Realizados

    Mensagem por FreeAnGeL em Qua Jun 23, 2010 1:06 pm





    Criticada e desacreditada após dois empates nas primeiras rodadas, a Inglaterra entrou sob pressão nesta quarta-feira no duelo contra a Eslovênia. No entanto, com sua atuação mais segura na Copa do Mundo da FIFA até agora, a equipe derrotou o rival por 1 a 0 e, de quebra, avançou às oitavas de final com a segunda colocação do Grupo C.

    Para os eslovenos, porém, a tensão durou um pouco mais. E terminou de maneira decepcionante. Com o gol no final dos Estados Unidos sobre a Argélia, o menor país classificado para este Mundial viu a vaga que esteve ao alcance escapar pelos dedos. A classificação final viu os norte-americanos em primeiros, seguidos pelos ingleses.

    Alheio ao drama do rival, a Inglaterra teve motivos de sobra para comemorar. A seleção teve momentos de grande futebol e viu as mudanças de Capello surtirem efeito. Insatisfeito com a campanha até então, ele tirou Emile Heskey e Aaron Lennon e colocou em campo Jermain Defoe e James Milner, que foram os protagonistas ao fazerem a jogada do gol, ainda no primeiro tempo.

    Depois do sofrimento, a Inglaterra pode se apoiar na campanha de 1990 para sonhar com mais avanços na África do Sul. No Mundial italiano, a equipe também começou empatando dois e vencendo apenas na terceira rodada antes de chegar à semifinal.

    Apesar de ter a situação mais cômoda ao início da rodada, a Eslovênia tomou a iniciativa e controlou melhor a posse de bola nos primeiros minutos. A Inglaterra encontrava dificuldades para atacar, mas foi aos poucos se soltando. E foi em uma jogada com dois jogadores que entraram como titulares nesta quarta-feira que saiu o primeiro gol: pela direita, Milner cruzou, Defoe se anteicpou à zaga e venceu Handanovic.

    Com o placar favorável, os ingleses quase repetiram a dose minutos depois, em jogada semelhante à do gol. No entanto, a grande chance veio aos 30 minutos. No primeiro lance, Defoe tentou o chute, mas parou em Handanovic. Na sobra, Gerrard tocou para Rooney, que devolveu quase na marca do pênalti. Com o gol aberto, o meia do Liverpool tentou um toque no canto, mas o goleiro voltou a salvar os eslovenos em dois tempos.

    Antes do término do primeiro, a Eslovênia voltou a aparecer na área inglesa em um cruzamento da intermediária de Walter Birsa, que David James cortou com ousadia. Com o apito do árbitro e o empate parcial entre Estados Unidos e Argélia, tanto Inglaterra como Eslovênia foram para o vestiário classificados.

    Na volta, o English Team teve incrível chance de aumentar logo aos 30 segundos, novamente com Defoe. Sozinho na marca do pênalti, ele tentou o desvio de uma bola que veio rebatida de fora da área e por pouco não aumentou. Alvo de críticas nos últimos jogos, o ataque funcionou bem e entrava com facilidade pela defesa, principalmente com Wayne Rooney.

    Em bom dia, o atacante do Manchester United fez tabelas rápidas com Gerrard e Ashley Cole e ia chegando perto do gol. Em ótima trama, ele recebeu sozinho dentro da área, virou com rapidez e acertou a trave. Quando a hora foi de defender, os zagueiros também apareceram. No lance de maior perigo da Eslovênia, Milivoje Novakovic, Zlatko Dedic e Valter Birsa chutaram dentro da área, mas foram bloqueados por Upson e Johnson de forma guerreira.

    Até então classificada, a Eslovênia foi para cima para tentar o empate. Com bolas alçadas, passou a rondar a área inglesa e obrigou Capello a tirar os dois atacantes, Rooney e Defoe, para tentar segurar o ímpeto rival. Com garra e um bloco liderado por John Terry, a Inglaterra escapou de maneira brilhante e só esperou o apito final para soltar o grito e desabafar.


    Fim do Jogo: Eslovêmia 0 x 1 Inglaterra

    Fonte: http://pt.fifa.com/worldcup/matches/round=249722/match=300061462/summary.html
    avatar
    FreeAnGeL
    Moderadores
    Moderadores

    Mensagens : 74
    Reputação : 0
    Data de inscrição : 07/06/2010
    Idade : 21
    Localização : Santos - São Paulo

    Re: [Copa do Mundo] Jogos Realizados

    Mensagem por FreeAnGeL em Qua Jun 23, 2010 1:08 pm





    Foram precisos mais de 30 chutes a gol e, provavelmente, alguns picos de arritmia cardíaca. Mas, com choro e sufoco, os Estados Unidos se classificaram para as oitavas de final da Copa do Mundo da FIFA África do Sul 2010.

    Durante quase toda a partida desta quarta-feira diante da Argélia em Tshwane/Pretória, os americanos estiveram eliminados. Isso embora tenham tentado de tudo – incluindo aí bola na trave, inúmeras defesas do goleiro adversário Rais M’Bolhi e um interminável abafa na área com cinco atacantes durante boa parte do segundo tempo.

    Só nos acréscimos da etapa final, quando a partida era uma loucura de ataque de parte a parte, é que o gol saiu para a vitória por 1 a 0. Landon Donovan foi o herói da classificação daquele que, de repente, de eliminado, se tornou o líder do Grupo C com cinco pontos – mesma contagem da Inglaterra, que venceu a Eslovênia por 1 a 0.

    Após o empate em 2 a 2 contra a Eslovênia na segunda rodada – quando buscou uma desvantagem de 2 a 0 no segundo tempo utilizando três atacantes – os EUA entraram em campo dispostos a colocar em prática uma formação ofensiva desde o começo, com dois atacantes – Jozy Altidore e Herculez Gomez – constantemente ajudados por Clint Dempsey e Landon Donovan.

    Para a Argélia, por outro lado, não havia outra opção para seguir com chances de classificação que não uma vitória. O resutado foi que, desde o início, a partida já tinha cara de decisão. Com seis minutos, num lançamento longo, a zaga norte-americana falhou e Rafik Djebbour matou no peito e acertou um lindo voleio no travessão. No rebote da jogada, contra-ataque dos Estados Unidos Herculez Gomez obrigou Rais M’Bolhi a espalmar para escanteio.

    Era apenas o começo de um jogo emocionante de ataque e contra-ataque constantes, de ambos os times, algo que só se tornou mais intenso depois que a Inglaterra abriu o placar diante da Eslovênia em Nelson Mandela Bay/Port Elizabeth, com direito ao ex-presidente norte-americano Bill Clinton na plateia.

    A alguns minutos do fim da primeira partes americanos tiveram duas chances claríssimas, sempre vindas dos pé de Landon Donovan: aos 33, ele deu lindo passe para Dempsey, que bateu travado e forçou M’Bolhi a uma boa defesa. Dois minutos depois, o camisa 10 tabelou, recebeu na área, tirou a bola do goleiro e a deixou com Jozy Altidore. De novo a defesa argelina chegou a tempo de atrapalhar e fazer com que o atacante chutasse por cima do gol.

    No intervalo, o técnico Bob Bradley adotou a mesma estratégia que levou à reação diante da Eslovênia: fez uma substituição aparentemente defensiva – um meio-campista, Benny Feilhaber, no lugar de um atacante, Herculez Gomez - mas que na prática deixou os EUA com três atacantes em Dempsey, Altidore e Donovan.

    Foram os argelinos, porém, quem controlaram a posse de bola e passaram a tentar insistentemente com cruzamentos na área dos Estados Unidos – a quem cabia o contra-ataque. Em um desses, mais uma chance inacreditável, quando Altidore fez grande jogada pela esquerda e cruzou rasteiro. A bola desviou na zaga e sobrou para Dempsey, que tocou com perfeição no canto esquerdo. Ou quase com perfeição: a bola tocou na parte de dentro da trave e ainda voltou para o próprio camisa 8, que, desequilibrado, de esquerda, bateu para fora apesar de o goleiro já estar batido.

    Depois da incrível chance, o jogo aos poucos começou a tomar outra cara: a da pressão dos norte-americanos. Sobretudo depois da entrada de ainda outro centroavante, Edson Buddle, no lugar de Maurice Edu. O meio-campo, oficialmente, inexistia: era ataque de um lado, contra-ataque do outro. Chance perdida por Altidore – que cabeceou à queima-roupa para defesa de M’Bolhi aos 23 -, outra na mesma moeda para Karim Ziani, que invadiu a área e bateu cruzado, para fora, no lance seguinte.

    Hora de pressão e tudo ou nada. Aos 35, Bob Bradley ainda colocou outro jogador ofensivo, DaMarcus Beasley, no lugar do lateral Jonathan Bornstein. Mas, àquela altura, mais do que de composição tática, era hora de abafa: bola na área, chute de longe, gente chegando ao ataque vinda de todo lado. Se com organização não tinha funcionado até então, seria assim que o gol – ou a essa altura melhor dizer milagre? – viria. Foi num cruzamento para a área, com toque de Altidore e defesa de M’Bohli, que a bola sobrou para Landon Donovan. O camisa 10, organizador cerebral das jogadas do time, ali foi artilheiro. Explodiu uma festa que parecia fadada a não acontecer.


    Fim do Jogo: Estados Unidos 1 x 0 Argélia

    Fonte: http://pt.fifa.com/worldcup/matches/round=249722/match=300061461/summary.html
    avatar
    FreeAnGeL
    Moderadores
    Moderadores

    Mensagens : 74
    Reputação : 0
    Data de inscrição : 07/06/2010
    Idade : 21
    Localização : Santos - São Paulo

    Re: [Copa do Mundo] Jogos Realizados

    Mensagem por FreeAnGeL em Qua Jun 23, 2010 5:43 pm






    Na vitória por 1 a 0 da Alemanha sobre Gana, todo mundo saiu comemorando. Embora tenha perdido a partida, levado algum susto e deixado a liderança do Grupo D, os Estrelas Negras conseguiram a vaga nas oitavas de final da Copa do Mundo da FIFA África do Sul 2010 e se tornaram o primeiro país do continente a passar de fase.

    Embora não tenha repetido no imponente estádio Soccer City, em Johanesburgo, em seus dois jogos seguintes o alto nível de sua exibição de estreia, a Nationalelf se recuperou bem do susto sofrido com o revés diante da Sérvia e se classificou em primeiro lugar. Agora, o time se prepara para um clássico imperdível contra a Inglaterra. Gana, por sua vez, jogará por sua sobrevivência contra os Estados Unidos.

    A partida foi movimentada e ganhou alguma dose extra de emoção à medida que os gols entre Austrália e Sérvia, o jogo simultâneo da chave, iam acontecendo. Esses dois times nunca chegaram a estarem classificados durante a rodada – ao se acumular os dois resultados em tempo real –, eles estiveram perto, o que aumentava a pressão para cima dos ganeses.

    O empate não era de todo mal para a alemães e ganeses (desde que Sérvia não ganhasse da Austrália), contudo, os times fizeram uma partida aberta, corrida, com oportunidades claras de gol para ambos os lados, sem tempo para descanso para os goleiros Richard Kingson e Manuel Neuer – ao todo, foram 30 finalizações, sendo 11 delas corretas.

    Uma sequência emblemática desse ritmo acelerado aconteceu entre os minutos 23 e 24, quando Kevin-Prince Boateng avançou pela direita ao ataque, ganhou em dividida e conseguiu chegar à área alemã para finalizar. Quando preparou o corte, seu irmão Jerome Boateng, que joga pelo selecionado alemão, fez um desarme providencial e já iniciou o contragolpe. A reposição de bola germânica foi rápida, também pela direita, com um belo passe de Cacau para o jovem Mesut Özil, que ficou cara-a-cara com o goleiro, mas bateu fraco diante de sua saída e permitiu a defesa.

    Foi assim, especialmente, no primeiro tempo. Depois do intervalo, a Alemanha tentou segurar um pouco mais a bola, dominando a posse em campo, procurando explorar mais sua habilidade em detrimento do jogo vigoroso dos africanos.

    O gol resultou dessa paciência. Depois de escanteio curto, o talentoso Thomas Müller carregou a bola em direção a Özil, que toca de lado, caminha pouco com ela e chuta forte no canto direito de Kingson. O ganês nem conseguiu se mexe: um, por ter a visão encoberta na grande área e, dois, pela precisão da finalização do promissor meia do Werder Bremen, que foi eleito o "Craque do Jogo Budweiser" em votação dos usuários do FIFA.com.

    Nos minutos seguintes ao gol sofrido, Gana ensaiou um abava para cima dos alemães, com muitos chutes de longa distância (tal como fez contra a Austrália na segunda rodada), mas não teve muito sucesso. Os alemães souberam proteger sua meta e cozinhar um pouco a partida.

    Dois brasileiros estiveram em campo no Soccer City. O árbitro Carlos Eugênio Simon apitou a oitava partida de Copa do Mundo. O outro era o atacante Cacau, substituindo pela Alemanha o veterano Miroslav Klose, que estava suspenso. Ele teve uma boa participação, dando movimentação ao setor ofensivo, mas não teve muitas chances de conclusão.


    Fim do Jogo: Gana 0 x 1 Alemanha

    Fonte: http://pt.fifa.com/worldcup/matches/round=249722/match=300061468/summary.html
    avatar
    FreeAnGeL
    Moderadores
    Moderadores

    Mensagens : 74
    Reputação : 0
    Data de inscrição : 07/06/2010
    Idade : 21
    Localização : Santos - São Paulo

    Re: [Copa do Mundo] Jogos Realizados

    Mensagem por FreeAnGeL em Qua Jun 23, 2010 5:45 pm





    A Austrália despediu-se da Copa do Mundo da FIFA com a primeira vitória da sua história sobre uma seleção europeia, mas o sucesso não serviu de nada. Os australianos bateram a Sérvia por 2 a 1, resultado que também ditou o adeus dos comandados de Radomir Antic à competição.

    Quem visse a primeira parte em Nelspruit e não soubesse a classificação do Grupo D até pensaria que era a Sérvia que tinha obrigatoriamente de ganhar para manter a esperança de classificação, e não a Austrália. Mas não. O empate até poderia chegar aos sérvios, caso houvesse um vencedor no jogo entre Alemanha e Gana, mas a equipe do Leste europeu não conseguiu nem mesmo isso.

    A Sérvia foi a mais ofensiva e mais perigosa no primeiro tempo, teve mais tempo de posse de bola e criou as únicas verdadeiras chances de gol. A primeira só demorou seis minutos para surgir, quando Milos Krasic apareceu livre na direita e obrigou Mark Schwarzer a fazer uma boa defesa.

    Mais seis minutos e de novo Krasic criou e desperdiçou. Após receber grande passe de Milos Ninkovic, o jogador do CSKA de Moscou chegou a passar por Schwarzer, mas o remate saiu por cima do alvo. Refeito do susto, o goleiro australiano voltou a brilhar num remate de Ivanovic, mas nada poderia fazer, aos 34 minutos, para parar a cabeçada de Nikola Zigic. O gigante de 2,02m, em excelente posição, cabeceou para fora.

    Muda tudo... duas vezes

    A essa altura, Tim Cahill já tinha protagonizado uma tímida resposta da Austrália, sem perigo, e foi preciso esperar até os 14 do segundo tempo para que Vladimir Stojkovic tivesse algum trabalho. O goleiro da Sérvia mostrou reflexos e elasticidade para defender a falta cobrada por Marco Bresciano. Mais um minuto e de Johanesburgo chegava a notícia do gol da Alemanha frente a Gana, o que obrigava a Sérvia a vencer ou pelo menos empatar com gols para seguir para as oitavas.

    Mas, curiosamente, voltou a ser a Austrália a criar perigo e de novo com uma bomba de Bresciano à qual Stojkovic se opôs com enorme qualidade. Os nervos pareciam estar tomando conta dos sérvios, e a situação ficou bem pior aos 24 minutos. Luke Wilkshire acertou um cruzamento longo da direita e Cahill ganhou o duelo nas alturas com os zagueiros da Sérvia para cabecear para o fundo do gol e para o 1 a 0.

    A festa voltou a ser australiana aos 28 minutos, quando Brett Holman progrediu com a bola e, diante da falta de oposição, se decidiu pelo remate de muito longe, que saiu muito colocado e resultou no 2 a 0. O impossível para a seleção da Oceania tornava-se um pouco mais fácil, já que o selecionado de Pim Verbeek passava a precisar de apenas mais dois gols para superar Gana no segundo lugar do grupo e seguir para as oitavas.

    Parecia que o filme estava toda a favor do milagre australiano, mas, de repente, tudo mudou outra vez. Um remate de longe de Zoran Tosic foi defendido para a frente por Schwarzer e Pantelic estava no lugar certo para reduzir para 2 a 1.

    Os sérvios voltavam a ficar a um simples gol de subir ao segundo lugar e, com seis minutos para o fim, mais os acréscimos, tinham de dar o máximo. Foi o que fizeram, mas sem sucesso - apesar de Marko Pantelic, quase no último segundo, ter desperdiçado uma chance de ouro, ao bater para fora quando estava perfeitamentre sozinho na grande área. Uma chance perdida que significou o adeus à África do Sul.


    Fim do Jogo: Austrália 2 x 1 Sérvia

    Fonte: http://pt.fifa.com/worldcup/matches/round=249722/match=300061467/summary.html
    avatar
    FreeAnGeL
    Moderadores
    Moderadores

    Mensagens : 74
    Reputação : 0
    Data de inscrição : 07/06/2010
    Idade : 21
    Localização : Santos - São Paulo

    Re: [Copa do Mundo] Jogos Realizados

    Mensagem por FreeAnGeL em Qui Jun 24, 2010 1:12 pm



    A Copa do Mundo da FIFA não verá um bicampeão na África do Sul. Aliás, simplesmente não verá mais os atuais campeões. O que vinha sendo anunciado desde os primeiros momentos de futebol sem brilho dos italianos virou história nesta quinta-feira no Ellis Park, em Johanesburgo.

    A Itália passou praticamente toda a partida – desde que sofreu o primeiro gol da Eslováquia, aos 25 minutos – precisando de um gol, o gol de empate, para assegurar sua sofrida classificação às oitavas de final. Mas as duas reações da equipe de Marcello Lippi chegaram tarde demais. Os eslovacos venceram uma partida eletrizante por 3 a 2, com dois de Robert Vittek, agora artilheiro do Mundial ao lado do argentino Gonzalo Higuaín, e terminaram em segundo lugar no Grupo F com quatro pontos. Após o empate sem gols com a Nova Zelândia em Polokwane, o Paraguai terminou sua campanha na liderança, com cinco pontos. A Itália acabou numa melancólica lanterna.

    Foi a quarta vez na história que um campeão mundial sequer passou da fase de grupos em sua defesa do título – a própria Itália passara por isso em 1950 (situação atenuada pelos hiato de 12 anos entre um Mundial e outro), além do Brasil em 1966 e da França em 2002.

    No primeiro instante de jogo, a prometida guinada ofensiva dos italianos - com Antonio Di Natale na vaga de Alberto Gilardino e Simone Pepe mais avançado – pareceu ser mais do que verdadeira. Com alguns segundos, da intermediária, Di Natale acertou um chutaço que passou rente ao gol de Jan Mucha. Mas era só a primeira impressão.

    Não demorou para que a Eslováquia, que precisava do resultado tanto quanto os italianos, assumisse o controle do jogo e, aos poucos, começasse a criar perigo. Marek Hamsik, meia do Napoli cotado para ser o grande destaque do pais na Copa, começou a engrenar sua melhor apresentação após dois jogos discretos diante de Paraguai e Nova Zelândia.

    A partir dos 15 minutos, não é exagero dizer que a Eslováquia mandava no jogo. A marcação sob pressão no campo de defesa italiano deu frutos aos 25 minutos, quando Daniele De Rossi errou um passe infantil na intermediária. Juraj Kucka recuperou e foi veloz para servir Robert Vittek com precisão. O camisa 11 eslovaco bateu cruzado e marcou seu 21º gol com a camisa de seu pais – o que fez dele o segundo maior artilheiro da história, com um a menos do que Szilárd Németh.

    Foi preciso sofrer o gol, além de mais uns minutos de superioridade eslovaca, para que a Itália enfim conseguisse ter um pouco mais de presença, nos últimos minutos do segundo tempo. Mas, ainda assim, muito menos do que a intensidade que se espera de um campeão mundial batalhando para se manter vivo na defesa do título.

    No segundo tempo, já não havia mais jeito: a Itália, de alguma forma, precisava se aproximar do gol. Para isso, Marcello Lippi trocou Riccardo Montolivo por um terceiro atacante de ofício - , Fabio Quagliarella - além de Christian Maggio no lugar de Domenico Criscito e, aos 11 minutos, Gennaro Gattuso por Andrea Pirlo. Não é que o cenário tenha mudado completamente, mas ao menos se viu a Squadra Azzurra com mais posse de bola e presença na área. O time criou boas chances com Di Natale e, aos 21, esteve a um centímetro do gol, literalmente. Após cobrança de escanteio, Quagliarella ficou com a sobra e bateu firme. A bola passou pelo goleiro, mas Martin Skrtel salvou em cima da linha.

    O jogo se transformou naquilo que tem se tornado uma constante nessas partidas decisivas da fase de grupos da África do Sul 2010: uma troca constante de ataques de lado a lado, sem interrupção. No caso, a Itália tentando atacar e a Eslováquia levando perigo com seus contra-ataques velozes. Era questão de os campeões mundiais se classificarem com o gol de empate ou darem adeus de vez ao levar o segundo. Acabou acontecendo a segunda opção: após cobrança de escanteio de Hamsik, a bola foi rebatida e voltou para o próprio meia do Napoli. De primeira, ele cruzou para Vittek marcar o seu segundo no dia.

    Parecia o fim, mas foi então que a tal força ofensiva que Lippi pretendia imprimir ao longo de toda a partida apareceu. Com Quagliarella, Di Natale e Iaquinta juntos, mais a chegada de Pirlo e Pepe, os italianos enfim foram para cima. O jogo continuou quente. Aos 35 minutos, Quagliarella fez grande jogada passando por três defensores, tabelou com Iaquinta e bateu. O goleiro Mucha defendeu, mas, no rebote, Di Natale diminuiu.

    O cenário ataque x contra-ataque foi levado ao extremo, e os italianos estiveram a ponto de conseguir o sonhado empate. Mas, então sim, era questão de tudo ou nada para a Itália - eliminação definitiva ou a suada vaga. Já eram 44 minutos quando enfim os campeões poderiam ficar com pinta de derrotados: Kamil Kopunek, que acabara de entrar, invadiu a área e tocou por cima de Federico Marchetti. Três a um, fim da linha? Nem tanto. Ainda era tempo de, aos 47, Quagliarella marcar um golaço por cobertura para diminuir outra vez o placar. Valia tudo: aos 50 minutos, Pepe ainda ficou com o rebote de um lateral dentro da área e bateu ao lado do gol. Já não se sabia mais o que esperar. Jogaço no Ellis Park para tornar ainda mais histórico um momento que, por si, já o era: os campeões eliminados na primeira fase, como lanternas do grupo.

    Fim do Jogo: Eslováquia 3 x 2 Itália

    Fonte: http://pt.fifa.com/worldcup/matches/round=249722/match=300061480/summary.html


    Última edição por FreeAnGeL em Qui Jun 24, 2010 1:22 pm, editado 1 vez(es)
    avatar
    FreeAnGeL
    Moderadores
    Moderadores

    Mensagens : 74
    Reputação : 0
    Data de inscrição : 07/06/2010
    Idade : 21
    Localização : Santos - São Paulo

    Re: [Copa do Mundo] Jogos Realizados

    Mensagem por FreeAnGeL em Qui Jun 24, 2010 1:21 pm





    O Paraguai está em alta. Nesta quinta-feira, a Albirroja empatou com a Nova Zelândia sem gols em Polokwane, mas, na chave em que a atual campeã Itália foi eliminada, o time assegurou sua classificação para as oitavas de final da Copa do Mundo da FIFA África do Sul 2010 com líder do Grupo F.

    Essa é a primeira vez na história em que a seleção avança no Mundial com o primeiro lugar de seu grupo. Agora a equipe, que vai enfrentar o segundo colocado do Grupo E, que tem Holanda, Dinamarca e Japão na disputa por vagas, busca outro feito inédito, que é passar das oitavas de final, depois de ter caído nesta fase no México 1986, França 1998 e Coreia do Sul/Japão 2002.

    O contingente sul-americano, desta forma, está reforçado nos mata-matas, com o Paraguai ao lado de Argentina, Brasil e Uruguai qualificados – o Chile, líder do Grupo E, decide sua sorte nesta sexta-feira. Os representantes do continente somam dez vitórias e três empates no geral.

    Já os All Whites se despedem do torneio de cabeça erguida, com três pontos somados em três empates, invictos, com uma sólida base na defesa. Os representantes da Oceania esperam uma continuidade em sua evolução técnica para quem sabe retornar à Copa daqui a quatro anos fortalecidos.

    Jogo mais lento
    Tendo sua equipe praticamente garantida nos mata-matas, o time Guaraní poupou alguns titulares, não chegou a imprimir um ritmo forte em campo e, ainda assim, dominou o jogo, com 17 finalizações no geral contra quatro dos adversários.

    O técnico Gerardo Martino repetiu sua formação com três atacantes, mas o Paraguai não foi tão incisivo como no triunfo sobre a Eslováquia, no qual exerceu marcação com muita pressão na saída de bola, resultando em muitas oportunidades.

    Isso não quer dizer, contudo, que o time não tenha feito uma boa partida defensivamente, mesmo com duas trocas. O veterano Denis Caniza entrou na lateral direita no lugar de Carlos Bonet, garantindo a participação efetiva em sua quarta Copa do Mundo da FIFA consecutiva, e Julio César Cáceres, do Atlético Mineiro, substituindo Antolín Alcaraz na zaga. O sistema defensivo não concedeu nenhum escanteio aos neozelandeses.

    A outra substituição de Martino foi lançar Óscar Cardozo no ataque, como centroavante enfiado, para dar um descanso a Lucas Barrios. O talentoso artilheiro do Benfica, no entanto, não teve uma atuação inspirada.

    No segundo tempo, quando Martino mandou Barrios e o jovem Edgar Benítez para a partida, nos lugares de Cardozo e Nelson Valdez, aos 66 minutos, a Albirroja cresceu de produção e criou boas chances para marcar. A melhor delas saiu aos 76, quando Benítez recebeu passe de Roque Santa Cruz na quina da área, pela esquerda, dominou, tirou a bola do alcance do defensor neozelandês e bateu cruzado. Mark Paston se esticou e fez a defesa.

    O placar acabou mesmo em 0 a 0, e o Paraguai não conseguiu quebrar o tabu de nunca ter vencido duas partidas seguidas na Copa do Mundo da FIFA. Com a liderança garantida, porém, não dá para imaginar que esse fato será lamentado.

    Fim do Jogo: Paraguai 0 x 0 Nova Zelândia

    Fonte: http://pt.fifa.com/worldcup/matches/round=249722/match=300061479/summary.html
    avatar
    FreeAnGeL
    Moderadores
    Moderadores

    Mensagens : 74
    Reputação : 0
    Data de inscrição : 07/06/2010
    Idade : 21
    Localização : Santos - São Paulo

    Re: [Copa do Mundo] Jogos Realizados

    Mensagem por FreeAnGeL em Qui Jun 24, 2010 5:55 pm



    Para qualquer um que julgasse que a classificação do Japão às oitavas de final da Copa do Mundo da FIFA em 2002 só foi de fato possível por causa do clamor da torcida local, o jogo desta quinta-feira em Rustemburgo tratou de mostrar que a seleção asiática, mesmo longe de casa, tem futebol para ir longe.

    Graças a dois belos gols de falta e a um terceiro que nasceu de uma linda jogada de Keisuke Honda – eleito Craque do Jogo Budweiser -, os japoneses derrotaram a Dinamarca por 3 a 1 e fecharam sua participação no Grupo E da Copa do Mundo como vice-líderes com seis pontos; três a menos do que a Holanda. Nas oitavas de final, o Japão encara o Paraguai, vencedor do Grupo F, no dia 29, em Tshwane/Pretória.

    Com as duas equipes precisando da vitória para assegurar classificação, a partida começou agitada: nos primeiros minutos, tanto o Japão – com um chute de Makoto Hasebe rente à trave – como a Dinamarca – num belo chute colocado de Jon Dahl Tomasson – tiveram oportunidades claras para marcar. Não havia domínio claro de nenhum dos dois lados.

    A diferença começou a ser feita nas bolas paradas: aos 17 minutos, Keisuke Honda acertou um petardo como dificilmente se vê. De muito longe, cruzado, colocado, seco e ao mesmo tempo com força; no estilo Juninho Pernambucano. O golaço abriu o placar e permitiu que os japoneses jogassem como gostam: explorando sua velocidade nos contra-ataques.

    E ainda vinha mais com as bolas paradas: aos 30 minutos, mais uma falta, essa em frente à área, e quem se ocupou de mais uma cobrança perfeita foi Yasuhito Endo. O camisa sete bateu com curva, no canto esquerdo, e colocou a seleção nipônica na história: foi apenas a quinta vez na história da Copa que uma equipe marcou dois gols de falta no mesmo jogo; a primeira desde a Iugoslávia contra o Zaire na Alemanha 1974.

    O Japão jamais havia conquistado uma vitória em Copa do Mundo diante de uma seleção europeia jogando fora de casa, mas o segundo tempo serviu para provar que não havia nem sinal de trauma entre os asiáticos. Apesar da disposição dos dinamarqueses de partir para cima, os comandados de Takeshi Okada se mantiveram firmes: defenderam bem e ainda criaram uma ou outra chance de aumentar a vantagem.

    Foi apenas nos últimos 15 minutos de jogo que os nórdicos de fato conseguiram exercer pressão: primeiro, aos 34 minutos, quando Soren Larsen recebeu, matou no peito e, de longe, acertou um belíssimo chute no travessão de Eiji Kawashima. Bastaram mais dois minutos e o gol dinamarquês chegou: Hasebe cometeu pênalti em Daniel Agger. Tomasson cobrou muito mal e Kawashima defendeu, mas o rebote voltou nos pés do próprio camisa nove, que então diminuiu o placar.

    Tanto o Japão não sentiu a pressão dinamarquesa que, ao invés de a partida caminhar para um abafa em busca do gol de empate, quem decidiu reagir e selar a classificação foram os japoneses, e de novo com Honda. O atacante do CSKA de Moscou deu um lindo drible em seu marcador para entrar na área e serviu Shinji Okazaki na frente do gol, sem goleiro, para levar os asiáticos de volta à segunda fase de uma Copa. Desta vez, sem precisar sequer do apoio de sua torcida.


    Fim do Jogo: Dinamarca 1 x 3 Japão

    Fonte: http://pt.fifa.com/worldcup/matches/round=249722/match=300061474/summary.html
    avatar
    FreeAnGeL
    Moderadores
    Moderadores

    Mensagens : 74
    Reputação : 0
    Data de inscrição : 07/06/2010
    Idade : 21
    Localização : Santos - São Paulo

    Re: [Copa do Mundo] Jogos Realizados

    Mensagem por FreeAnGeL em Qui Jun 24, 2010 5:57 pm





    A Holanda entrou em campo classificada e precisando de pouco para garantir a liderança do Grupo E. Mas nem por isso o jogo desta quinta-feira contra Camarões foi uma formalidade. Com a mesma eficiência das duas primeiras partidas da Copa do Mundo da FIFA, a equipe de Bert Van Marjwik venceu os Leões Indomáveis por 2 a 1, garantiu a classificação às oitavas de final com 100% de aproveitamento e ainda teve outra boa notícia para comemorar: o retorno de Arjen Robben.

    O atacante do Bayern de Munique, que chegou a ter sua participação no torneio ameaçada por uma lesão muscular na coxa no início do mês, entrou em campo aos 28 minutos do segundo tempo e foi decisivo na jogada do segundo gol, acertando um belo chute na trave antes do gol de Klas Jan Huntelaar.

    Com seu grande jogador de volta, a seleção mostrou que pode ser ainda mais perigosa na sequência do Mundial. Nas oitavas de final, encara a surpreendente Eslováquia, que mais cedo eliminou a Itália. Com o outro resultado da noite, o Japão também se classificou no Grupo E e vai enfrentar o Paraguai.

    Primeira seleção a passar de fase, a Holanda foi a segunda a fechar com três vitórias, repetindo a campanha da Argentina. A vitória foi a sétima seguida e igualou a maior série do país na história, conseguida anteriormente entre 2002 e 2003 também. Mais ainda, aumentou a invencibilidade para 22 partidas, tendo a derrota para a Austrália em setembro de 2008 como sua última.

    Mesmo com a classificação garantida, Van Marjwik poupou apenas Gregory Van der Wiel, que estava pendurado com um cartão amarelo. Khalid Boulahrouz entrou para compor a defesa. Wesley Sneijder se mantinha como meia mais avançado, enquanto Dirk Kuyt e Robin Van Persie lideravam o ataque.

    Do lado camaronês, Paul Le Guen manteve o 4-4-2 com Samuel Eto’o e Choupo Moting na frente, mas a criação foi novamente o grande problema da equipe. Com o jogo equilibrado no meio-de-campo, os primeiros minutos praticamente não viram chances para os dois lados. Somente aos 30 os Leões Indomáveis apareceram em cabeçada de Jean II Makoun, com resposta imediata de Kuyt em chute de longa distancia.

    Meais organizada em campo, a Holanda chegou ao gol aos 36 minutos. Kuyt puxou o ataque pela direita e tocou para Van Persie. O jogador do Arsenal tabelou com Rafael Van der Vaart e recebeu dentro da área, tocando por baixo de Hamidou Souleymanou. O gol deixou os holandeses ainda mais confortáveis, mas a falta de velocidade impediu a ampliação do placar.

    Na volta para o segundo tempo, Van Persie criou a primeira chance aos cinco minutos, em bom chute defendido por Souleymanou. Decidido a não encerrar a campanha com três derrotas, Camarões foi para cima e teve duas boas oportunidades. Aos 16, Makoun apareceu cara a cara com Maarten Stekelenburg, que fez grande defesa.

    Três minutos depois, a pequena pressão deu resultado. Em cobrança de falta na entrada da área, Geremi tentou o canto e Van de Vaart interceptou com a mão. O juiz assinalou pênalti, que Eto’o não desperdiçou, marcando o seu segundo gol na Copa.

    Aos 28 minutos, Van Marwijk promoveu a entrada de Robben. O jogador mostrou logo boa movimentação e fez a diferença aos 38 minutos, com a jogada do gol. Depois do contra-ataque, ele fintou o zagueiro e acertou a trave. Huntelaar só teve então o trabalho de empurrar para dentro com o gol escancarado.

    Até o final, Robben ainda criou outras boas chances e mostrou que deve brigar pela posição de titular nas oitavas. Para Camarões, a terceira derrota confirmou a triste despedida de uma equipe que chegou com grandes esperanças, mas mostrou extrema fragilidade dentro de campo.

    Fim do Jogo: Camarões 1 x 2 Holanda

    Fonte: http://pt.fifa.com/worldcup/matches/round=249722/match=300061473/summary.html
    avatar
    FreeAnGeL
    Moderadores
    Moderadores

    Mensagens : 74
    Reputação : 0
    Data de inscrição : 07/06/2010
    Idade : 21
    Localização : Santos - São Paulo

    Re: [Copa do Mundo] Jogos Realizados

    Mensagem por FreeAnGeL em Sex Jun 25, 2010 1:20 pm






    Que havia talento de sobra de lado a lado no confronto entre Brasil e Portugal, já se sabia. O que a partida desta sexta-feira mostrou foi outra igualdade: na disposição para lutar por uma vitória na última rodada do Grupo G. As duas seleções se equivaleram em Durban e saíram de campo classificadas com um empate em 0 a 0 – que leva os brasileiros às oitavas de final como lideres da chave, com sete pontos, e os portugueses como segundos colocados, com cinco.

    Na próxima fase, os brasileiros enfrentam o segundo colocado do Grupo H, no qual todas as quatro equipes ainda têm chance de classificação: o líder Chile, com seis pontos; Espanha e Suíça, que têm três, e até mesmo a lanterna Honduras, que ainda não pontuou. Portugal encara o líder dessa chave. As partidas desta sexta-feira, às 20h30 (15h30 de Brasília; 19h30 de Lisboa) envolvem Chile x Espanha e Suíça x Honduras.

    Tanto brasileiros quanto portugueses entraram em campo com mudanças com relação às equipes escaladas para as duas primeiras rodadas. Como já era esperado, o técnico Dunga colocou Júlio Baptista no lugar de Kaká, suspenso por causa do cartão vermelho diante da Costa do Marfim, e Daniel Alves na vaga de Elano, ainda se recuperando de uma pancada na perna direita. A única surpresa foi a ausência de Robinho, que deu lugar a Nilmar.

    Carlos Queiroz, que já havia feito mudanças entre a primeira partida – empate contra a Costa do Marfim – e a goleada diante da Coreia do Norte, experimentou uma formação diferente, com Cristiano Ronaldo como único atacante de ofício, ajudado constantemente por Danny, Tiago, Raul Meireles e Duda. Além disso, Pepe, estreando no Mundial e de volta à equipe titular pela primeira vez desde que passou por uma cirurgia no joelho, assumiu a função de volante de contenção.

    Muita disputa
    A formação tática portuguesa significava uma equipe com dez jogadores atrás da linha do meio-campo e uma marcação cerrada sobre a armação de jogadas brasileira – a cargo de Daniel Alves e Júlio Baptista. Quando recuperava a bola, porém, Portugal conseguia rapidamente levar jogadores à frente e causar problemas para a defesa brasileira.

    A primeira boa chance do Brasil, aos seis minutos, saiu de uma bola perdida no meio-campo que Daniel Alves recuperou. De fora da área, o jogador do Barcelona bateu à direita do gol de Eduardo. Mas, a partir de então, os portugueses foram mais perigosos. O meio-campo fechado impedia que a Seleção jogasse como prefere, com velocidade. Nas chegadas rápidas ao ataque – sobretudo com o lateral Fábio Coentrão, mais uma vez uma das melhores opções de ataque do time – Portugal levava mais perigo, e quase marcou num lindo sem-pulo de Tiago na frente da área, aos 18 minutos.

    Apesar da falta de espaços para sair em velocidade, tal como acontecera na partida diante dos marfinenses, o talento dos jogadores ofensivos brasileiros ainda conseguiu gerar algo. A diferença foi que, ao contrário da tabela entre Kaká e Luís Fabiano na partida da segunda rodada, o lance aos 30 minutos não resultou em gol: da lateral direita da área, Luís Fabiano fez um lindo passe que cruzou toda a área e encontrou Nilmar na cara de Eduardo. O toquinho de esquerda encobriu o goleiro e acertou a trave. Pouco depois, aos 39, Maicon cruzou alto da direita e encontrou a cabeça de Luís Fabiano, livre na área. A conclusão, porém, saiu à direita do gol.

    A partir de então, diante de tanta disputa no meio-campo, o que ganhou lugar foram as divididas e brigas pela posse de bola. Ao todo, no primeiro tempo, foram sete cartões amarelos e um bocado de tensão despejada de lado a lado. Tanta que, aos 44 minutos, depois de levar o penúltimo amarelo da primeira etapa, Felipe Melo – por precaução – foi substituído. Dunga colocou em campo o volante Josué.

    Mudanças por velocidade
    Com Simão no lugar de Duda logo aos nove minutos, Queiroz queria dar ainda mais velocidade na chegada junto a Cristiano Ronaldo. E o primeiro lance de perigo dos portugueses no segundo tempo, aliás, foi justamente com Simão, que bateu firme da entrada da área para defesa de Júlio Cesar. Logo em seguida, aos 15, mesmo sem ajuda Cristiano Ronaldo criou problemas. O jogador do Real Madrid arrancou e percorreu metade do campo com a bola dominada, em alta velocidade. Dentro da área, Lúcio conseguiu o corte, mas a bola sobrou limpa para Raul Meireles, na cara de Júlio César, na entrada da pequena área. O toque do meia desviou no camisa um e saiu à direita do gol.

    Apesar de os portugueses terem sido sempre ligeiramente superiores – ou pelo menos terem mais presença no campo ofensivo -, a segunda etapa não foi rica em chances reais de gol. Por um lado, Portugal teve dificuldades em transformar a velocidade de Cristiano Ronaldo, Simão e companhia em lances de perigo, já que o meio-campo brasileiro tratou de se fechar. Esse meio-campo congestionado transformou a partida numa luta em que, para haver vencedor, seria necessário algum lampejo de talento que fizesse a diferença. Ramires quase a fez já nos acréscimos, quando arrancou e chutou de fora da área. Mesmo com o desvio na zaga, Eduardo conseguiu uma grande defesa.

    De todas formas, a principal diferença já havia sido devidamente feita nas duas rodadas anteriores. Invictos, os países irmãos seguem vivos na competição, com a esperança de se cruzarem bem mais à frente, no dia 11 de julho, no Soccer City.


    Fim do Jogo: Portugal 0 x 0 Brasil

    Fonte: http://pt.fifa.com/worldcup/matches/round=249722/match=300111111/summary.html
    avatar
    FreeAnGeL
    Moderadores
    Moderadores

    Mensagens : 74
    Reputação : 0
    Data de inscrição : 07/06/2010
    Idade : 21
    Localização : Santos - São Paulo

    Re: [Copa do Mundo] Jogos Realizados

    Mensagem por FreeAnGeL em Sex Jun 25, 2010 1:21 pm





    A missão era quase impossível, mas para a Costa do Marfim ela serviu como combustível em busca de uma recuperação na última rodada da fase de grupos. Depois do empate com Portugal e da derrota para o Brasil, a equipe africana entrou nesta sexta-feira precisando de uma incrível goleada sobre a Coreia do Norte e de tropeço da seleção lusa na outra partida.

    A combinação não aconteceu, mas ao menos o grupo comandado por Sven Göran Eriksson deixou a África do Sul de cabeça erguida. Com os 3 a 0 sobre os norte-coreanos, terminou em terceiro do Grupo G com quatro pontos, praticamente repetindo a campanha da Alemanha 2006, quando também caiu em chave difícil e foi eliminada com uma vitória.

    Naquela ocasião, teve grandes atuações nas derrotas para Argentina e Holanda e fechou a participação com um triunfo sobre a Sérvia e Montenegro. Já a Coreia do Norte não tem motivos para comemorar. Depois da surpreendente campanha na Inglaterra 1966, quando alcançou as quartas de final, em 2010 a equipe só teve um momento de alegria, no gol marcado contra o Brasil já no final do primeiro jogo. Em seguida, levou a maior goleada do torneio (7 a 0 para Portugal) e terminou com um saldo negativo de 11, com 12 gols sofridos.

    Ainda sonhando com um milagre, Eriksson colocou em campo um time mais ofensivo, com Gervinho de volta no ataque ao lado de Didier Drogba. O jogador do Lille, que foi sacado contra o Brasil, criou as principais jogadas do primeiro tempo e infernizou a defesa rival. A primeira delas veio logo a um minuto, em um lançamento no meio da zaga para Kader Keita, que apareceu sozinho e quase marcou.

    Nos primeiros dez minutos as chances iam se acumulando. Gervinho criou duas seguidas, numa delas em que a bola atravessou toda a linha do gol, sem ninguém para completar. Na sequência, Drogba chegou a marcar de cabeça, mas o juiz marcou impedimento.

    A Costa do Marfiim não saía de perto da área. E, após tanto pressionar, conseguiu o gol. Em boa jogada de Arthur Boka pela esquerda, a bola chegou a Yaya Touré, que encaixou belo chute no canto, sem chances para o goleiro.

    A pressão era enorme e ia surtindo efeito. Desta forma, o segundo não demorou para sair. Em bola alçada na área, Drogba dominou e soltou a bomba no travessão. Na sobra, Romaric completou de cabeça e balançou as redes. Acuada, a Coreia do Norte só assustou em cobranças de faltas com Yong Jo, uma delas com extremo perigo.

    O segundo tempo foi semelhante, com a Costa do Marfim tendo oportunidade atrás de oportunidades. Drogba levou grande perigo em duas ocasiões, mas o ímpeto diminuiu depois da saída de Gervinho. Foi o suficiente para a Coreia do Norte também passasse a atacar e chegar duas vezes com a possibilidade de diminuir, ambas com Jong Tae Se. Na melhor delas, ele chegou a ficar cara a cara com Boubacar Barry, ainda teve uma segunda chance, mas não aproveitou.

    O troco marfinense veio rapidamente. Em cruzamento da intermediária, Kalou se antecipou ao goleiro e fez o terceiro. Até o final a pressão ainda foi grande e outro gol, agora de Aruna Dindane, acabou sendo anulado por impedimento. No entanto, o placar ficou por aí, vendo as duas seleções em Nelspruit acabarem eliminadas.

    Fim do Jogo: Coréia do Norte 0 x 3 Costa do Marfim

    Fonte: http://pt.fifa.com/worldcup/matches/round=249722/match=300061486/summary.html
    avatar
    FreeAnGeL
    Moderadores
    Moderadores

    Mensagens : 74
    Reputação : 0
    Data de inscrição : 07/06/2010
    Idade : 21
    Localização : Santos - São Paulo

    Re: [Copa do Mundo] Jogos Realizados

    Mensagem por FreeAnGeL em Sex Jun 25, 2010 5:57 pm






    A Espanha venceu o Chile por 2 a 1 nesta sexta-feira, no complemento da fase de grupos da Copa do Mundo da FIFA África do Sul 2010, e agora vai enfrentar seu vizinho Ibérico nas oitavas de final, enquanto o time sul-americano se prepara para um duelo continental com o Brasil.

    Depois de perder na estreia para a Suíça, a Fúria reagiu na chave H e garantiu a liderança com dois triunfos seguidos e a recuperação, ainda que a recuperação, ainda que parcial, do vistoso futebol que em 2008 conquistou muitos fãs e o título da Eurocopa.

    Já os chilenos sofreram a primeira derrota de uma seleção da América do Sul neste torneio. Mas não é um revés que chegue a arranhar a imagem do continente, cujos cinco representantes na competição foram aos mata-matas, totalizando dez vitórias e quatro empates em 15 partidas.

    A classificação, contudo, foi custosa para o time de Marcelo Bielsa. Para enfrentar um ataque estrelado como o do Brasil, a Roja vai precisar superar os desfalques de três importantes peças de seu setor defensivo: o volante Marco Estrada, expulso, e os zagueiros Gary Medel e Waldo Ponce, suspensos pelo segundo cartão amarelo.

    Jogo aberto

    Após a experiência tortuosa que é enfrentar a sufocante defesa suíça, tanto espanhóis como chilenos devem ter respirado aliviados nesta sexta, em Pretória, por terem do outro lado oponentes que valorizam mais a posse de bola, a velocidade, troca de passes e a busca do gol.

    Especialmente no primeiro tempo, as duas seleções proporcionaram um jogo aberto e vistoso, com chances para os dois lados. A primeira falha individual do duelo, porém, foi custosa para o Chile. Aos 24 minutos, o goleiro Claudio Bravo se apressou em sair de sua área para fazer um desarme em ataque espanhol, mas acabou cortando mal, jogando a bola em direção a David Villa. O atacante mostrou toda sua técnica e oportunismo, ao bater de primeira da intermediária, com a perna esquerda, com efeito, direto para a rede.

    Com a jogada, Villa se tornou o maior artilheiro da Fúria em Copas do Mundo da FIFA, com seis gols, deixando nomes como os atacantes Raúl, Fernando Morientes e Emilio Butragueño e o zagueiro Fernando Hierro para trás. O reforço do Barcelona também se juntou ao uruguaio Gonzalo Higuaín e ao eslovaco Robert Vittek como goleador do torneio, com três marcados na primeira fase.

    Depois de 13 minutos, a situação dos comandados de Bielsa se agravou. Após rápida triangulação vertical rumo ao gol, Villa recebeu a bola pela esquerda e tocou para trás, nos pés de Andrés Iniesta, que tocou com classe, com um leve tapa, para o gol, o centésimo da Copa do Mundo. Para piorar, durante o lance, Estrada acabou expulso, ao calçar Fernando Torres longe da bola.

    Chile sai do buraco

    Diante deste cenário, bastava à Suíça vencer Honduras por um só gol de diferença – no jogo simultâneo do grupo – para garantir o segundo lugar do grupo.

    Para o segundo tempo, o técnico argentino fez duas mudanças, lançando Claudio Millar e Esteban Paredes nos lugares de Mark González e Jorge Valdivia. O curioso é que Millar iria para campo para ajudar a compor o meio-campo devido à exclusão de Estrada. No fim, porém, o volante marcou o gol de honra de sua equipe. Ele aproveitou rebote na área espanhola aos 47 minutos para bater forte. A bola desviou nas pernas do zagueiro Gerard Piqué e encobrir Casillas.

    O gol não só dava ao Chile a esperança de empatar o confronto e buscar a ponta, mas também pressionava psicologicamente os helvéticos contra os hondurenhos, já que teriam de vencer por ao menos dois gols. Mas nada mudou a partir daí nos placares.

    Fim do Jogo: Chile 1 x 2 Espanha

    Fonte: http://pt.fifa.com/worldcup/matches/round=249722/match=300061491/summary.html
    avatar
    FreeAnGeL
    Moderadores
    Moderadores

    Mensagens : 74
    Reputação : 0
    Data de inscrição : 07/06/2010
    Idade : 21
    Localização : Santos - São Paulo

    Re: [Copa do Mundo] Jogos Realizados

    Mensagem por FreeAnGeL em Sex Jun 25, 2010 5:58 pm






    Suíça e Honduras se despediram da Copa do Mundo da FIFA África do Sul 2010 com um empate em 0 a 0 que não serviu a nenhuma das equipes. Os helvéticos ficaram em terceiro lugar do Grupo H, com quatro pontos, enquanto o representante da CONCACAF terminou em último, com um ponto e nenhum gol marcado.

    A fase de grupos da Copa terminou sem motivos de festa para Suíça e Honduras que, assim igualou a Argélia como a única seleção que não balançou as redes uma única vez na África do Sul. Mas, nesta quinta-feira, a equipe de Reinaldo Rueda teve muitas oportunidades diante da meta de Diego Benaglio, mas a falta de pontaria e a inspiração do goleiro suíço impediram a alteração do placar.

    A Suíça não dependia apenas de si para seguir para as oitavas de final e, atentos ao que acontecia no duelo entre Espanha e Chile, passou a correr atrás da vitória, único resultado que a faria avançar à segunda fase.

    Por isso, os europeus dominaram a primeira metade do encontro, mas a verdade é que tiveram muitas dificuldades em superar a defesa adversária. As exceções aconteceram perto do intervalo, quando Blaise Nkufo desperdiçou duas boas oportunidades para abrir o marcador.

    Era de esperar que o filme se repetisse na segunda parte, mas foi Honduras que, aos oito minutos do segundo tempo, esteve mais perto de marcar o seu primeiro gol na Copa. Edgar Alvarez trabalhou bem na ala direita e cruzou na medida para David Suazo que, de cabeça, errou o alvo por pouco.

    O jogo ficou mais aberto, e a Suíça respondeu com dois chutes praticamente seguidos. No entanto, as bolas de Tranquillo Barnetta e Eren Derdiyok foram em cima do goleiro Noel Valladares. Do outro lado, os hondurenhos chegaram com perigo, obrigando Diego Benaglio a boas defesas, uma delas importantíssima em arremate de Alvarez.

    Precisando dos gols, o técnico suíço colocou em campo Alexander Frei, mas o atacante não chegou a mudar a história do jogo, desperdiçando duas boas oportunidades em questão de minutos.

    Outro que não aproveitou foi Stephan Lichtsteiner, após boa arrancada pela ponta direita. Já aos 40 minutos, Honduras ainda chegou a comemorar, mas o lance já tinha sido anulado por impedimento. Antes do fim, Honduras ainda errou o alvo duas outras vezes, perdendo assim a oportunidade de gritar gol em solo sul-africano.

    Fim do Jogo: Suiça 0 x 0 Honduras

    Fonte: http://pt.fifa.com/worldcup/matches/round=249722/match=300061492/summary.html
    avatar
    FreeAnGeL
    Moderadores
    Moderadores

    Mensagens : 74
    Reputação : 0
    Data de inscrição : 07/06/2010
    Idade : 21
    Localização : Santos - São Paulo

    Re: [Copa do Mundo] Jogos Realizados

    Mensagem por FreeAnGeL em Sab Jun 26, 2010 3:36 pm





    Não foram precisos mais do que dois lances de precisão de seu mortal ataque para que o Uruguai fizesse história neste sábado, em Nelson Mandela Bay, Port Elizabeth. Luis Suárez marcou uma vez logo no início da partida e outra a dez minutos do final para garantir a vitória da Celeste por 2 a 1 sobre a Coreia do Sul, que valeu aos bicampeões mundiais a primeira vaga do país nas quartas de final da Copa do Mundo da FIFA desde o México 1970.

    Apesar de ter criado poucas chances e de até ter sido dominado pelos sul-coreanos durante boa parte do jogo – desde que marcou o primeiro, aos sete minutos, até sofrer o empate, aos 23 da segunda parte -, o Uruguai deu mais uma mostra da diferença que é capaz de fazer a dupla Suárez e Diego Forlán, agora responsável por cinco dos seis gols da equipe no Mundial – ou 83,3%. Luis Suárez agora se junta ao eslovaco Robert Vittek, ao espanhol David Villa e ao argentino Gonzalo Higuain como um dos artilheiro da Copa até aqui, com três gols.

    Os uruguaios agora encaram por uma vaga na semifinal o vencedor do duelo deste sábado, às 20h30 (15h30 de Brasília; 19h30 de Lisboa), entre Estados Unidos e Gana, em Rustemburgo.

    Suárez de cabo a rabo
    O jogo começou com um susto no então ainda invicto goleiro Diego Muslera, aos cinco minutos: Park Chu Young acertou uma cobrança de falta quase perfeita, que o camisa um uruguaio só pôde observar. A bola acertou em cheio a trave esquerda.

    Pouco depois, aos oito, o Uruguai respondeu com ainda mais efetividade. E, como quase sempre, por meio de seus dois atacantes: Diego Forlán recebeu pela ponta esquerda, cortou para dentro e, da lateral da área, cruzou rasteiro. A bola passou por toda a extensão da área, inclusive pelo goleiro Jung Sung Ryong, e Luis Suárez apareceu sozinho do lado direito para tocar para o gol vazio.

    Era justo aquilo de que a Celste precisava para se sentir confortável no jogo. Enquanto os sul-coreanos tinham mais posse de bola e tentavam, com paciência, superar a forte retaguarda de Diego Lugano, Diego Godín, Diego Pérez e companhia, os uruguaios de quando em quando saíam para tentar explorar a velocidade de Forlán e Suarez.

    Estudada, a partida apresentou poucos lances de perigo até o final da primeira etapa. Foi só depois do intervalo, quando se posicionou ainda mais à frente, que a Coreia do Sul chegou a de fato ameaçar o gol de Muslera, principalmente com o perigosos Park Chu Young. Aos poucos, o que era apenas domínio territorial se tornou efetivamente superioridade. Os asiáticos passaram a criar ocasiões seguidas, e a bola já não saía mais da intermediária do Uruguai – que sequer tinha espaço para tentar armar contra-ataques.

    Finalmente, tanto domínio resultou no empate – embora não exatamente em uma das tantas jogadas bem trabalhadas, e sim num cruzamento na área. A cobrança de falta foi mal desviada pela zaga uruguaia e, alta, a bola caiu na cabeça de Lee Chung Yong. Diante de uma saída algo atrapalhada de Muslera, o meia sul-coreano cabeceou sem força e meio desajeitado, mas o suficiente para mandar a bola para o gol.

    Só depois de sofrer o gol de empate é que o Uruguai voltou a frequentar o campo da Coreia do Sul. E logo se viu que, quando se dispõe a ir ao ataque, o time sul-americano tem mais recursos para causar problemas. Aos 35 minutos, após cobrança de escanteio no lado direito do ataque, a bola sobrou para Suárez pela esquerda. O camisa nove deu um belo corte no zagueiro e, do bico da área, acertou um lindo chute com curva, de chapa, que ainda bateu na trave esquerda antes de entrar. Um golaço que mostrou a efetividade do Uruguai e, especificamente, de seus dois atacantes, e tratou de fazer história para os bicampeões em Port Elizabeth.


    Fim do Jogo: Uruguai 2 x 1 Coréia do Sul

    Fonte: http://pt.fifa.com/worldcup/matches/round=249717/match=300061504/summary.html
    avatar
    FreeAnGeL
    Moderadores
    Moderadores

    Mensagens : 74
    Reputação : 0
    Data de inscrição : 07/06/2010
    Idade : 21
    Localização : Santos - São Paulo

    Re: [Copa do Mundo] Jogos Realizados

    Mensagem por FreeAnGeL em Sab Jun 26, 2010 8:06 pm



    O estoque de feitos dramáticos dos Estados Unidos estava esgotado. Depois de conseguirem sua classificação aos mata-matas da de modo custoso, os norte-americanos acabaram eliminados por Gana, neste sábado, em Rustemburgo, na prorrogação, assegurando sua vaga nas quartas de final.

    Com esse triunfo, essa já é a melhor campanha dos Estrelas Negras na história da competição. O time agora enfrenta o Uruguai, carregando a torcida do continente, que sediou o Mundial pela primeira vez na história e acabou vendo cinco de seus seis representantes eliminados já na fase de grupos.

    Gana, do seu lado, segue muito viva. O time fez um rápido gol contra os EUA e acabaram perdendo o controle do jogo e levaram o empate. Com mais fôlego, porém, levou a melhor no tempo extra. Esse foi o segundo triunfo seguido, em dois jogos pela Copa, do selecionado ganês sobre a equipe americana.

    O vigoroso Kevin-Prince Boateng foi quem abriu o placar, aproveitando-se falha na saída de bola do volante Ricardo Clark no meio-campo. O jogador do Hamburgo se atrapalhou ao tentar uma finta no círculo central, foi desarmado e permitiu um contragolpe fatal aos africanos. Prince foi lançado pela direita e partiu com tudo. Foi rápido ao limpar o lance na entrada na área, cortando para a esquerda e batendo de primeira, rasteiro, num chute seco, sem chances para Tim Howard.

    A partir daí, porém, a partida passou para os pés dos Estados Unidos. Bradley sacou Clark ainda na etapa inicial, ganhou mais consistência no meio e começou a reter mais a bola em seus pés, em mais boa participação de seu filho, Michael, e do astro da seleção, Landon Donovan.

    Os norte-americanos exploraram o ataque tanto pelas laterais, para se aproveitarem de seu perigoso jogo aéreo, como pelo centro, com tabelas envolvendo o grandalhão Jozy Altidore, Donovan e o meia Clint Dempsey. A primeira grande chance para o empate saiu aos 35 minutos, quando Dempsey passou profundamente para Robbie Findley, que deu um toque na bola, entrou na área e chutou rasteiro, tal como Boateng, mas sem buscar tanto o canto, permitindo a defesa de Richard Kingson, com a perna. O goleiro fez uma sólida partida.

    Gana chegou a ter suas chances no contra-ataque, mas nessas investidas acabou esbarrando nos concentrados defensores norte-americanos, que se reabilitaram após um início de jogo falho, ou em Howard, como aos 37 minutos, com Kwandwo Asamoah, novamente pela quina da área à esquerda. Dessa vez o goleiro americano estava bem posicionado para também defender com o pé.

    No segundo tempo, Bradley fez outra alteração – esta recorrente durante o torneio –, sacando o segundo atacante Findley para colocar o meia Benny Feilhaber, dando assim mais liberdade para seus homens de criação se aproximarem da área. E deu certo.

    Aos 47 minutos, Dempsey desceu pela esquerda e serviu a Altidore no centro da área. O centroavante fez um bom passe rápido para Feilhaber, que chegava com tudo. Kingson saiu bem do gol para fazer a defesa, à base do abafa.

    A pressão continuou. Aos 62, veio o empate. Dempsey dessa vez avançou pela faixa central de campo e foi derrubado por uma carga do defensor ganês Jonathan Mensah. Donovan foi para a cobrança e guardou, com goleiro de um lado e bola para o outro.

    A energia norte-americana, contudo, foi caindo à medida que o segundo tempo avançava. E Gana voltava a aparecer no ataque, especialmente nos minutos finais, embora sua chegada à área não tão incisiva até o apito final.

    Bem diferente da arrancada de Asamoah Gyan aos 93 minutos, já na prorrogação. Um balão direto da intermediária ganesa encontrou o atacante no mano-a-mano com Carlos Bocanegra. Em jogo de corpo com o zagueiro norte-americano, Gyan levou a melhor e conseguiu preparar a bola pela esquerda para soltar uma bomba por cima de Howard.

    O atacante, desta forma, se juntou a Donovan, ao uruguaio Luis Suárez, ao espanhol David Villa, ao argentino Gonzalo Higuaín e ao eslovaco Róbert Vittek como artilheiros da Copa do Mundo da FIFA, todos com três gols. Na primeira fase, ele havia feito dois em cobranças de pênalti na vitória contra a Sérvia e no empate com a Austrália.

    Nos últimos minutos, em mais uma tentativa de reação, os EUA até mandaram seu goleiro Tim Howard para a área em cobrança de escanteio, mas sem sucesso.

    Gana teve de se suar muito para passar pelos Estados Unidos, mas agora tem um bom período de descanso até enfrentar o Uruguai por uma vaga nas semifinais e manter a esperança africana de título em seu solo. A partida será realizada apenas no dia 2 de julho, próxima sexta-feira.

    Fim do Jogo: Estados Unidos 1 x 2 Gana

    Fonte: http://pt.fifa.com/worldcup/matches/round=249717/match=300061503/summary.html

    Conteúdo patrocinado

    Re: [Copa do Mundo] Jogos Realizados

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Sex Jan 18, 2019 2:15 am